quinta-feira, 31 de outubro de 2019

Pão Por Deus – A História de uma tradição bem Portuguesa





O Pão Por Deus é uma tradição bem Portuguesa, mas a sua origem evolução e história até hoje é algo fascinante. Por vezes no entanto pensamos que poderá estar ameaçado por um Halloween que até poderá ter raízes longínquas partilhadas.

A globalização tem cada vez implementado mais o Halloween entre os Portugueses. O fenómeno da televisão, e mais recentemente a Internet, trazem até nós esta festividade anglo-saxónica. 




As Origens Pagãs

As oferendas aos mortos nestas alturas do ano são comuns em diversas culturas pagãs, incluindo as celtas que habitaram o que é hoje Portugal.

Tendo em conta que muitas teses apontam a origem do Halloween como festividades célticas é interessante ver as semelhanças e desenvolvimento de ambos.

Também sabemos que muitas festas pagãs foram aos poucos tomando roupagens Cristãs, e a pouco e pouco se fundiram.





A Origem do Pão Por Deus Cristão
Com o passar dos anos foi cada vez mais promovido pela Igreja Católica o culto dos mortos, e a tradição de reservar lugar à mesa, e também de deixar comida para os mesmos.

Começou também o costume de deixar o primeiro pão de uma fornada nesta altura à porta da casa tapado por um pano. Seria para honrar os mortos, mas a intenção era também quem de mais pobre por ali passasse tomasse a parte física para si.

Assim este pão para os fieis defuntos começou a ter a vertente de partilha com quem necessitava. 








O Terremoto de 1755

Um dos dias mais negros da história de Portugal é o de 1 de Novembro de 1755. Neste Dia de Todos os Santos, Lisboa viria a sofrer a maior catástrofe da sua história, sendo muito do país também afectado por ela.

Aí os afectados por tal tormenta foram a quem algo salvou pedir Pão Por Deus, tentando ter algo para matar a fome, aos que sobreviveram à catástrofe,

Relatos contam que nos anos seguintes nesse mesmo dia se aumentou o costume do Pão Por Deus, em jeito de celebração e agradecimento a quem tinha sobrevivido. Talvez por isso esta tradição seja tradicionalmente mais forte na região da grande Lisboa.






A Evolução até aos dias de Hoje

Com o passar dos anos progressivamente passou a ser cada vez mais um peditório das crianças. No século XX, onde os registos são mais constantes e fiáveis, começamos a ver muito o Pão Por Deus como a festa das Crianças.

Neste dia as crianças de manhã cedo iam de porta em porta a pedir o Pão Por Deus. Recebendo tradicionalmente frutos secos, romãs, pão e bolos.

Nos anos mais recentes, e mesmo contando alguns ciclos de menor fulgor, começou a ver-se cada vez mais como um dia em que as crianças pedem de porta em porta doces, sendo que ainda se continua a ver alguns frutos secos.

O saco de pano do Pão Por Deus é muito comum em todos estes registos, e nos dias que correm continua a existir, sendo que com a Internet temos visto muitos pequenos negócios a vender até versões personalizadas dos mesmos. 









O Doçura ou Travessura Português

Um dos pontos de enfoque da cultura popular americana, que nos chega pela televisão e Internet, é a doçura ou travessura. É, no entanto, engraçado ver que algo semelhante existe tradicionalmente registado em Portugal.

As rimas e cantigas são normalmente descritas quando as crianças batem à porta. E em alguns casos vemos que detêm estrofes de agradecimento a quem oferta doces, mas menos simpáticas para quem não o faz. 


A Cantiga Inicial

Bolinhos e bolinhós
Para mim e para vós,
Para dar aos finados
Que estão mortos e enterrados

À bela, bela cruz
Truz, Truz!

A senhora que está lá dentro
Sentada num banquinho
Faz favor de s’alevantar
Para vir dar um tostãozinho 


A resposta nas casas em que são ofertados doces.

Esta casa cheira a broa,
Aqui mora gente boa.
Esta casa cheira a vinho,
Aqui mora um santinho.


E a resposta para quem não os dá
Esta casa cheira a alho
Aqui mora um espantalho.
Esta casa cheira a unto
Aqui mora algum defunto


Variações ao longo do país
Em muitas outras regiões do país o Pão Por Deus é celebrado. No entanto existe ao longo do território algumas variações do mesmo.

Na estremadura é conhecido muitas vezes como o “Bolinho”, e a tradição é dar bolos festivos especialmente confeccionados nesta época do ano.

Já nos Açores a tradição é dar estas caspiadas, que dizem lembrar a o topo de uma caveira humana, honrando assim também os mortos.

sábado, 26 de outubro de 2019

Queijo alentejano eleito entre os melhores do mundo em prova internacional

Um pequeno queijo de ovelha amanteigado da Queijaria Monte da Vinha, no Vimieiro, não mais de 70 gramas, foi distinguido com a categoria de ouro nos World Cheese Awards. Ao concurso apresentarem-se perto de 4000 queijos de todo o mundo.



A cidade de Bérgamo, em Itália, foi a 19 e 20 de outubro a grande casa dos queijos de todo o mundo. Ao World Cheese Awards concorreram 3804 queijos, provenientes de 42 países, de seis continentes. Um dos representantes portugueses, o queijo de ovelha amanteigado da Queijaria Monte da Vinha, produto 100% artesanal constituído apenas por leite cru de ovelha, sal e cardo, recebeu uma medalha de ouro depois de sujeito ao sistema de prova cega.Um júri composto por mais de 300 membros (entre especialistas, experts e críticos gastronómicos) provou os quase 4000 queijos em dois dias, concentrados em 84 mesas.


Fonte:sapo

sexta-feira, 25 de outubro de 2019

Miguel Esteves Cardoso - Como é que se esquece alguém que se ama?



Como é que se esquece alguém que se ama? Como é que se esquece alguém que nos faz falta e que nos custa mais lembrar que viver? Quando alguém se vai embora de repente como é que se faz para ficar? Quando alguém morre, quando alguém se separa - como é que se faz quando a pessoa de quem se precisa já lá não está?


As pessoas têm de morrer; os amores de acabar. As pessoas têm de partir, os sítios têm de ficar longe uns dos outros, os tempos têm de mudar Sim, mas como se faz? Como se esquece? Devagar. É preciso esquecer devagar. Se uma pessoa tenta esquecer-se de repente, a outra pode ficar-lhe para sempre. Podem pôr-se processos e acções de despejo a quem se tem no coração, fazer os maiores escarcéus, entrar nas maiores peixeiradas, mas não se podem despejar de repente. Elas não saem de lá. Estúpidas! É preciso aguentar. Já ninguém está para isso, mas é preciso aguentar. A primeira parte de qualquer cura é aceitar-se que se está doente. É preciso paciência. O pior é que vivemos tempos imediatos em que já ninguém aguenta nada. Ninguém aguenta a dor. De cabeça ou do coração. Ninguém aguenta estar triste. Ninguém aguenta estar sozinho. Tomam-se conselhos e comprimidos. Procuram-se escapes e alternativas. Mas a tristeza só há-de passar entristecendo-se. Não se pode esquecer alguem antes de terminar de lembrá-lo. Quem procura evitar o luto, prolonga-o no tempo e desonra-o na alma. A saudade é uma dor que pode passar depois de devidamente doída, devidamente honrada. É uma dor que é preciso aceitar, primeiro, aceitar.


É preciso aceitar esta mágoa esta moinha, que nos despedaça o coração e que nos mói mesmo e que nos dá cabo do juízo. É preciso aceitar o amor e a morte, a separação e a tristeza, a falta de lógica, a falta de justiça, a falta de solução. Quantos problemas do mundo seriam menos pesados se tivessem apenas o peso que têm em si , isto é, se os livrássemos da carga que lhes damos, aceitando que não têm solução.


Não adianta fugir com o rabo à seringa. Muitas vezes nem há seringa. Nem injecção. Nem remédio. Nem conhecimento certo da doença de que se padece. Muitas vezes só existe a agulha.


Dizem-nos, para esquecer, para ocupar a cabeça, para trabalhar mais, para distrair a vista, para nos divertirmos mais, mas quanto mais conseguimos fugir, mais temos mais tarde de enfrentar. Fica tudo à nossa espera. Acumula-se-nos tudo na alma, fica tudo desarrumado.


O esquecimento não tem arte. Os momentos de esquecimento, conseguidos com grande custo, com comprimidos e amigos e livros e copos, pagam-se depois em condoídas lembranças a dobrar. Para esquecer é preciso deixar correr o coração, de lembrança em lembrança, na esperança de ele se cansar.

Miguel Esteves Cardoso, in 'Último Volume'



Fonte:ospontosdevista

quarta-feira, 23 de outubro de 2019

Estamos quase a entrar no horário de inverno. No domingo de madrugada tem de alterar os relógios lá de casa.




A Hora Legal muda do regime de Verão para o regime de Inverno
na madrugada de 27 de Outubro de 2019 (domingo)


– Em Portugal continental e na Região Autónoma da Madeira, às 2:00 horas da manhã atrasamos o relógio de 60 minutos, passando para a 1:00 hora da manhã.



– Na Região Autónoma dos Açores a mudança será feita à 1:00 hora da madrugada de





domingo, 13 de outubro de 2019

Sabia que o Alentejo vai ter uma rede de apoio ao autocaravanismo?



O projeto envolve a requalificação de 39 estações de serviço e tem um prazo de execução 17 meses.


Será uma ótima oportunidade para a região ser promovida, envolvendo os seguintes municípios: Alandroal, Almeirim, Almodôvar, Alter do Chão, Alvito, Avis, Beja, Borba, Cartaxo, Castelo de Vide, Coruche, Crato, Ferreira do Alentejo, Gavião, Grândola, Mértola, Monforte, Moura, Mourão, Odemira, Ponte de Sor, Portalegre, Rio Maior, Serpa, Vendas Novas, Viana do Alentejo e Vila Viçosa.



Fonte: Turismo do Alentejo

Chuva forte chega a Portugal...IPMA coloca 15 distritos em aviso amarelo



IPMA coloca 15 distritos em aviso amarelo devido à chuva entre hoje e a noite de segunda-feira

Para este período, e é esperada chuva “por vezes forte”, sendo que nos distritos do continente espera-se que, além de forte, a chuva seja também persistente.

O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) colocou hoje sete distritos em alerta amarelo devido à previsão de chuva, tendo emitido o mesmo nível de alerta para mais nove distritos a partir das 00:00 horas desta segunda-feira.

O aviso amarelo de previsão de chuva, por vezes forte, para hoje abrange os distritos de Viseu, Porto, Vila Real, Viana do Castelo, Aveiro, Coimbra e Braga.

Este alerta, o menos grave, vigora para todos estes distritos até às 18:00 de hoje. O IPMA emitiu ainda alerta para quatro zonas da Madeira (costa sul, Costa norte, Porto Santo e regiões montanhosas) que vigora até às 14:00 deste domingo.

Para este período, e é esperada chuva “por vezes forte”, sendo que nos distritos do continente espera-se que, além de forte, a chuva seja também persistente.

A partir das 00:00 horas de segunda-feira entram em alerta amarelo os distritos de Évora, Portalegre, Setúbal, Santarém, Lisboa, Leiria, Beja Castelo Branco e Coimbra – sendo este último o único que é visado nos dois avisos.


Este alerta vigora a partir da meia noite e até as 06:00, prevendo-se aguaceiros ou chuva “que poderá ser persistente e por vezes forte”.

De acordo com o IPMA, o aviso amarelo significa “situação de risco para determinadas atividades dependentes da situação meteorológica”.

sábado, 12 de outubro de 2019

Castelo da Lousã - Graças às obras recentemente efetuadas, os visitantes também já podem percorrer o interior deste monumento, que impressiona pela sua construção em xisto.



Construído há 1200 anos, com objetivos defensivos, o Castelo da Lousã reforçou, agora, a sua função turística. Graças às obras recentemente efetuadas, os visitantes também já podem percorrer o interior deste monumento, que impressiona pela sua construção em xisto. Acrescentou-se um miradouro, um Centro de Interpretação e Acolhimento a turistas, além de iluminação decorativa. A intervenção visou sobretudo a criação de condições de acessibilidade direta dos visitantes à torre de menagem e de circulação no interior da muralha. O Castelo da Lousã pode ser visitado gratuitamente, mas apenas ao fim de semana e feriados 





 
A zona envolvente, onde se encontra a praia fluvial e a Ermida da Senhora da Piedade – um espaço verde de grande beleza – também foi requalificada, convidando a passeios prolongadas pelo local. A praia fluvial, que ostenta a Bandeira Azul, conta com apoio de um café com esplanada, e de uma zona de solário. Atravessando uma das passagens sobre a Ribeira de São João, tem-se acesso à zona de solário. 

Miradouro do Adamastor reabriu após ter estado fechado durante um ano para requalificação.



O Miradouro de Santa Catarina em Lisboa, mais conhecido por Miradouro do Adamastor, reabriu esta sexta-feira, depois de ter estado fechado durante cerca de um ano para requalificação.


Além de ter uma nova vedação e um pequeno jardim junto à estátua, que estará também protegida por grades, o miradouro passa a fechar durante a noite.


Assim sendo, o miradouro passa a estar aberto entre as 7h30 e as 23h30.


Recorde-se que o anúncio da vedação em redor do miradouro gerou uma grande onda de contestação, com diversas críticas provenientes de autarcas e munícipes, tendo sido inclusivamente criado um movimento intitulado ‘Libertem o Adamastor’, que defende que o espaço deve ser frequentado por todos.


Em sentido contrário, alguns moradores do Bairro de Santa Catarina criaram uma petição favorável às restrições de horário, defendendo medidas que possibilitem o descanso daqueles que ali moram.

Avião desgovernado galga limite da pista no aeroporto do Porto



Um vídeo e imagens que este sábado de manhã começaram a circular nas redes sociais mostram um avião da TAAG a galgar os limites da pista até uma zona de terra no Aeroporto Sá Carneiro, no Porto.

A ANA Aeroportos revelou este sábado, à agência Lusa, que abriu um inquérito junto da transportadora aérea TAAG, e da sua empresa de assistência, devido ao avião que "saiu de calços" e deslizou até terra.

Numa declaração escrita enviada à Lusa, a ANA, que gere os aeroportos nacionais, observa que as razões que levaram o avião da TAAG a sair de calços no Aeroporto Francisco Sá Carneiro "terão que ser esclarecidas pelo inquérito que está a ser realizado junto da companhia aérea e da sua empresa de assistência".

De acordo com a ANA, o incidente não causou problemas nem prejudicou a operação no aeroporto. "Confirmamos ocorrência de um incidente com avião da TAAG. O incidente não teve consequências e a operação está a correr com normalidade", afirma a ANA.

Sabia que pode passar férias num antigo autocarro da Carris dos anos 60 transformado em alojamento? Em contacto com a natureza e com todo o conforto!



O Camping Bus é um autocarro dos anos 60 que serviu a Carris e que agora, foi transformado em alojamento, pela mão de Ricardo Marcelino. Já pode alugá-lo para passar uns dias imerso na natureza com a sua família. 



Tendo experiência em alojamento local com a sua casa de campo, Ricardo queria criar um espaço que fosse diferente e um autocarro pareceu a escolha certa. Todo o processo da procura pelo autocarro e restauro do mesmo foi feito por Ricardo, contando com a ajuda de familiares no projeto que demorou um ano a terminar e que transformou o veículo de dois andares, de cor verde, num propósito inesperado.





O resultado foi um espaço amplo e acolhedor nos dois andares, com um quarto, mas com espaço para 4 hóspedes no total, perfeito para umas férias em família afastados da cidade ou para uma escapadinha a dois. O Camping Bus tem todas as comodidades necessárias para passar uns dias no campo e, inclusive, uma piscina para se refrescar nos dias mais quentes.










Rua da padaria Nº7
Arrabal, Leiria, Portugal
m.me/356200935110243
Ligar 918 345 379

sexta-feira, 11 de outubro de 2019

Parabéns Portugal! Estamos cada vez mais perto do Euro 2020!




A selecção portuguesa de futebol reforçou hoje o segundo lugar do Grupo B de apuramento para o Euro2020, que vale um lugar na fase final, ao bater o Luxemburgo por 3-0, no Estádio José Alvalade, em Lisboa.

Bernardo Silva, aos 16 minutos, e Cristiano Ronaldo, aos 65, e Gonçalo Guedes, aos 89, marcaram os tentos da formação das ‘quinas’, que soma 11 pontos (cinco jogos), contra 16 da líder Ucrânia (seis), que bateu em casa a Lituânia por 2-0, e sete da Sérvia (cinco), terceira.

Portugal, o detentor do título, pode garantir na segunda-feira o apuramento para a sua oitava fase final de um Europeu e sétima consecutiva, desde 1996, caso vença na Ucrânia e a Sérvia não triunfe na Lituânia.
 
 
Fonte:dn

MELGAÇO...“Noite dos Medos” - Bruxas, abóboras e varandas iluminadas, ruídos sonoros assustadores, vassouras e potes de bruxas, panos pretos, teias de aranhas, entre outros, serão muitos dos elementos figurativos para a terrível noite.





NOITE DOS MEDOS


Uma noite para descobrir os segredos do oculto 

MELGAÇO - 31 de outubro

Na noite do dia 31 de outubro, Melgaço será “tomado” por bruxas, por seres do além que irão aterrorizar a vila. Mas será em ambiente de festa que os medos serão encarados: o Destino de Natureza Mais Radical de Portugal convida para a “Noite dos Medos”, um momento para se descobrirem segredos do oculto, mas também um momento de diversão: um misto de terror e alegria.


Da Casa da Cultura ao Castelo de Melgaço, passando por entre as ruas, a vila veste-se a rigor. Bruxas, abóboras e varandas iluminadas, ruídos sonoros assustadores, vassouras e potes de bruxas, panos pretos, teias de aranhas, entre outros, serão muitos dos elementos figurativos para a terrível noite. Também a população e turistas se deverão vestir a preceito, não destoando de todo o ambiente criado para a noite.


O “perigo” começa na Casa da Cultura com o Welcome Drink dos Medos, pelas 21h00: oferta de bebidas alegóricas. O espaço estará devidamente decorado, criando um cenário perfeito para a apresentação do Concurso dos Medos.


O Cortejo dos Medos, pelas 22h30, convida a uma visita ao cemitério dos medos: os participantes desfilam os seus trajes pelas ruas da vila, num percurso da Casa da Cultura até ao Castelo, onde decorrerá o Enterro dos Medos, o Esconjuro das Bruxas e a Queimada Galega. O momento finda com um espetáculo de fogo, mas a festa continua noite dentro, na Praça da República, a partir das 00h30.


O evento, organizado pelo Município de Melgaço com colaboração da Associação Empresarial Minho Fronteiriço, surge da necessidade de proporcionar animação em épocas baixas, e, simultaneamente, criar condições para a divulgação de crenças e contos, relacionados com a temática do “oculto”, que fazem parte da cultura da comunidade de Melgaço.

CONCURSO DOS MEDOS: INSCRIÇÕES A DECORRER ATÉ DIA 22 DE OUTUBRO


O concurso pretende premiar os trabalhos mais criativos desenvolvidos para o evento “Noite dos Medos”. Estimular o espírito crítico e imaginativo, envolvendo toda a comunidade (público em geral e população) e as entidades do concelho, é o principal objetivo.
Este ano a organização desafia à caracterização, subordinada ao tema “Medos”. Os trabalhos deverão distinguir-se pela reutilização de materiais, sendo valorizados os que se associem a costumes e tradições de Melgaço, como crenças, lendas, mitos e tradições populares relacionadas com o oculto.
Todos, podem participar: em nome individual ou como entidade (Comércios, Associações, Empresas, Comunidades Escolares, Instituições Particulares de Solidariedade Social ou Juntas de Freguesia, do concelho de Melgaço).


São admitidas candidaturas para três categorias diferentes:


I – Categoria Escola: exclusivamente para a comunidade escolar;
II – Categoria Individual: apresentação de candidaturas para restante comunidade em formato individual, exclusivamente para maiores de 18 anos, e apenas um elemento;
III – Categoria Grupo: restante comunidade em formato de Grupo, com um mínimo de dois elementos.
Os interessados em participar deverão preencher e entregar a respetiva Ficha de Inscrição até ao dia 22 de outubro, na Casa da Cultura ou via e-mail pmeleiro@cm-melgaco.pt.

PRÉMIOS PARA OS TRÊS MELHORES TRABALHOS


I – Categoria Escola:
1º Prémio: Troféu de 1º classificado
2º Prémio: Troféu de 2º classificado
3º Prémio: Troféu de 3º classificado
II – Categoria Individual:
1º Prémio: pernoita para duas pessoas na Casa da Cevidade
2º Prémio: uma caixa de Espumante Alvarinho
3º Prémio: circuito de banhos com massagem, no Centro de Estágios de Melgaço (SPA)
III – Categoria Grupo:
1º Prémio: cabaz de produtos locais
2º Prémio: pernoita para cinco pessoas, na Branda da Aveleira
3º Prémio: atividade Radical para cinco pessoas
Regulamento e Ficha de inscrição disponível em www.cm-melgaco.pt.

quinta-feira, 10 de outubro de 2019

O Rio Tejo está reduzido a uma pequenina ribeira devido à seca....



O caudal do rio Tejo atinge um nível preocupante, estando reduzido a uma pequenina ribeira. Imagem de dia 09 Outubro 2019 junto à Estação Ferroviária de Ortiga - Mação.



Fonte: Arlindo Consolado Marques

Casal Apaixonado português consagrou-se campeão do mundo de estátuas vivas na Holanda




“O Beijo” entre Cátia Ferreira e Vítor Hugo, o par de estátuas vivas que tem marcado presença na Expodemo, em Moimenta da Beira, desde a primeira edição, conquistou anteontem em Arnhem, Holanda, onde se realizou o Campeonato Mundial de Estátua Vivas, o título de campeão do mundo por aquela representação. “Somos campeões do mundo”, escrevem nas redes sociais, efusivos, aquela dupla de artistas.

De acordo com a autarquia de Moimenta da Beira, “o título é também uma distinção que honra igualmente a Expodemo e a sua organização que tem sabido fazer deslocar ao evento os melhores entre os melhores”.

Já em 2018 “O Beijo” tinha arrecadado três prémios em Portugal: o do júri e voto do público no XXII Encontro Internacional de Estátuas Vivas, em Espinho; o 1º lugar no VI Encontro de Estátuas Vivas de Águeda; e o prémio do júri e prémio do público no XII Festival Homem Estátua de Santa Cruz.









Atenção à Mudança da Hora para o regime de Inverno.



A Hora Legal muda do regime de Verão para o regime de Inverno

na madrugada de 27 de Outubro de 2019 (domingo)


– Em Portugal continental e na Região Autónoma da Madeira, às 2:00 horas da manhã atrasamos o relógio de 60 minutos, passando para a 1:00 hora da manhã.









– Na Região Autónoma dos Açores a mudança será feita à 1:00 hora da madrugada de 





domingo, 6 de outubro de 2019

O Cão do Barrocal Algarvio é a 11ª raça certificada em Portugal





É chamado de cão felpudo e cão abandeirado pelos seus conterrâneos algarvios. Tem aparência esguia e atlética dos galgos egípcios dos quais se acredita ter origens, mas há também semelhanças com o Podengo português e os Border Collies, raça inglesa de cães pastores. Podemos juntar estas três raças e temos a imagem do Barrocal Algarvio: focinho alongado, orelhas pontiagudas, cauda em formato de caracol, o pelo comprido, em particular nas patas, cauda e base das orelhas e figura esguia e ágil, podendo chegar aos 58 centímetros e pesar até 25 quilos.

Durante muitos anos, este cão foi utilizado para a caça menor – são rápidos, agressivos, trabalhadores incansáveis, resistentes às adversidades, enérgicos e territoriais. Hoje em dia, começam-se a ver alguns nas matilhas de caça maior, mais na zona Sul do País.

Segundo conta a Visão, tal como o Rafeiro do Alentejo ou o Cão de Gado Transmontano, houve uma época menos boa para o Cão do Barrocal Algarvio: os anos 60. Com a introdução em Portugal de raças de cães de parar, os números de exemplares de Barrocal diminuíram muito. Nos anos 50 contabilizavam-se 3500, e nos anos 60 apenas cerca de 30 Barrocais contabilizados.

Houve um trabalho muito importante, e que merece ser destacado, da Associação de Criadores do Cão do Barrocal Algarvio (ACCBA) que moveu esforços para impedir que esta raça desaparecesse.

Depois de quinze anos de recuperação, apuramento genético e divulgação, a ACCBA conseguiu juntar o Clube Português de Canicultura (CPC) para esta causa. Hoje, o Cão do Barrocal Algarvio está prestes a tornar-se a 11ª raça portuguesa certificada e aguarda apenas o aval da Direção Geral de Alimentação e Veterinária para que o seu estatuto se torne oficial.




Fonte: Visão

sábado, 5 de outubro de 2019

Jovem português distinguido como melhor aluno de medicina em Londres



Miguel Campos, 23 anos, teve a média mais alta de Portugal em 2013, mas foi para Londres estudar Medicina. Segue-se a Cirurgia Plástica.

Tem 23 anos. É do Porto. Mas corre-lhe o Mundo. Humilde e grato. Corre-lhe a Medicina. Em 2013 foi o aluno a entrar no Superior com a média mais alta. Mas não foi notícia. Porque rumou a uma das melhores universidades do Mundo. Mais concretamente a 31ª: King”s College London. Chama-se Miguel Sequeira Campos e acaba de ser distinguido com a medalha de ouro pela conceituada Faculdade de Ciências e Medicina de King”s College. Entre mais de 480 colegas de curso, foi eleito o melhor aluno.

quarta-feira, 2 de outubro de 2019

Em Portugal foi Prorrogado o Período Crítico de Incêndios... (partilhe)!



O Governo decidiu prorrogar o período crítico de incêndios até ao próximo dia 10 de outubro, no âmbito do Sistema de Defesa da Floresta Contra Incêndios. O Despacho do Secretário de Estado das Florestas e do Desenvolvimento Rural, Miguel Freitas, publicado hoje em Diário da República, assinala a previsão da "manutenção do risco de incêndio rural em níveis elevados, (…) Tendo em consideração as circunstâncias meteorológicas prováveis para os primeiros dez dias do mês de outubro, de temperaturas com valores acima do que é o padrão para a época, uma baixa probabilidade de ocorrência de precipitação com uma previsão do nível de precipitação abaixo da média, com tendência para tempo seco e quente em todo o território nacional.



Durante o período crítico de incêndios, nos espaços florestais ou agrícolas, é proibido:



• fumar, fazer lume ou fogueiras;

• fazer queimas ou queimadas;

• lançar foguetes e balões de mecha acesa;

• fumigar ou desinfestar apiários, salvo se os fumigadores estiverem equipados com dispositivos de retenção de faúlhas;

• fazer circular, ou utilizar, tratores, máquinas e veículos de transporte pesados que não possuam extintor, sistema de retenção de fagulhas ou faíscas e tapa chamas nos tubos de escape ou chaminés.



Face às condições descritas, considera-se necessário continuar a adotar as medidas e ações especiais de prevenção de incêndios florestais, que decorrem durante o período crítico, no âmbito do Sistema de Defesa da Floresta contra Incêndios.