quarta-feira, 13 de novembro de 2019

José Cid recebeu hoje prémio nos EUA .... Grammy de Excelência Musical


Para José Cid, o reconhecimento internacional surge a par do reconhecimento nacional, que é "tão bom ou melhor" que os galardões além-fronteiras.

O músico português José Cid recebe hoje, numa cerimónia em Las Vegas, nos Estados Unidos da América, um Grammy de Excelência Musical, da Academia Latina de Gravação, cuja atribuição foi anunciada em agosto.

O Grammy de Excelência Musical é atribuído “a artistas que fizeram contribuições de significado artístico excecional para a música latina”, de acordo com informação disponível no ‘site’ da Academia.

Além de José Cid, também Eva Ayllón, Joan Baez, Lupita D'Alessio, Hugo Fattoruso, Pimpinela, Omara Portuondo e José Luis Rodríguez "El Puma" vão receber hoje o mesmo galardão.

Em agosto, quando a Academia Latina de Gravação anunciou que José Cid iria receber o prémio, o músico disse à Lusa que esta distinção "é o corolário de muitos anos de trabalho, teimosia e persistência", e lamentou que as grandes editoras não apostem mais em Portugal.

 

 

Prepare-se para o frio! Massa de ar muito fria vai fazer descer os termómetros oito graus a partir desta quinta-feira



As temperaturas máximas vão descer 8 graus Celsius a partir de quinta-feira devido a uma massa de ar muito frio proveniente da Irlanda, prevendo-se também vento forte e queda de neve, segundo a meteorologista Ângela Lourenço.

“A descida acentuada da temperatura será a partir de amanhã [quinta-feira]. Estes valores baixos vão manter-se sexta-feira e sábado e no domingo espera-se uma subida da temperatura”, disse a meteorologista do Instituto Português do mar e da Atmosfera (IPMA).

De acordo com Ângela Lourenço, esta descida brusca da temperatura está relacionada com a entrada de uma massa de ar muito frio, ar polar, que vem de norte, da Irlanda.

“De destacar que amanhã [quinta-feira] a descida da temperatura não será só acentuada, mas também acompanhada de vento forte. Estes dois fatores conjugados vão dar um desconforto térmico, o que significa que as pessoas vão sentir mais frio do que aquele que é registado através das temperaturas”, sublinhou.

Segundo a especialista, está prevista uma descida da ordem dos 8 graus nas temperaturas máximas e 2 a 4 graus nas mínimas.

“A partir de domingo os valores da temperatura vão subir, mas não para os valores que temos tido nos últimos dias. [contudo] serão mais elevados do que durante este episódio de tempo frio que teremos nos próximos dias”, indicou à Lusa.

terça-feira, 12 de novembro de 2019

Jovem artesão de Celorico de Basto constrói uma cidade em miniatura sozinho


  
Pedro Lemos é um jovem artesão de Celorico de Basto que ergueu uma cidade em miniatura fruto da sua imaginação.





 Escondido nas traseiras da casa, o jovem constrói as casas que compõem a aldeia que se vê na encosta minhota.




 Pedro Lemos começou a construir os edifícios em miniatura com apenas dez anos que agora dão vida à aldeia da sua imaginação.




 «Desde muito pequeno que brincava com pedrinhas e pauzinhos. Um dia comecei a fazer casas e nunca mais acabei».






 Nesta aldeia não faltam os espigueiros minhotos, a igreja, o pelourinho, a torre de um castelo ou a casa senhorial da região de Basto.




  
Na aldeia da sua imaginação - como lhe chama - não faltam a igreja, o pelourinho, a torre de um castelo, os espigueiros minhotos e uma casa senhorial da região de Basto.







«Inspiro-me naquilo que vejo. A torre é parecida com o castelo de Guimarães e as casas são iguais às que vou encontrando por aí», revela Pedro Lemos.




Como chegar: google maps



Ruinas de Freixo de Numão são consideradas o "Machu Picchu" Português



Freixo de Numão é uma vila, do concelho de Vila Nova de Foz Coa, cheia de história e com belas paisagens e sítios arqueológicos como é o caso de Prazo. Uma janela no tempo.


 “O Prazo oferece uma maior janela temporal porque tem ocupação desde a pré-história aos romanos e à época medieval. É também um lugar fantástico e nível paisagístico”.





No perímetro urbano da freguesia de Freixo de Numão pode visitar o Museu Da Casa Grande, instalado num belo Solar Barroco (segunda metade do séc. XVIII), com mostras significativas de Arqueologia e Etnologia. No quintal anexo, ruínas romanas, medievais e modernas, tendo ainda ali sido recolhidos materiais da Idade do Ferro.

Imponente, como sítio arqueológico mas também como miradouro, é o Castelo Velho, onde campanhas sucessivas de escavação têm permitido estudar um povoado dos III e II milénios A.C. (Idades do Cobre e do Bronze). Povoado fortificado ou apenas sítio monumentalizado, questões que os investigadores hoje colocam quanto às funções de tão ancestral símbolo da presença humana na região.






Vestígios importantes do Calcolítico, podemos igualmente encontrá-los nos abrigos do Vale Ferreiro e da Painova. No entanto, é no sítio do Prazo que valiosos vestígios do Neolítico Antigo estão agora a começar a ser postos a descoberto.

Outros sítios elevados como 0 Alto dos Barreiros, Alto de Santa Eufemia, lugar Do Castelo de Freixo de Numão, têm-nos surpreendido com achados que vão do Calcolítico à Idade do Ferro!

Da presença dos Romanos cheiram-se vestígios por toda a parte no aro de Freixo de Numão e limítrofes. Em fase de estudo avançado encontram-se as villas rústicas: do Prazo, com três ocupações (séc.l/II d.C, segunda metade do séc. III d.C. e a era de Constantino - séc.IV d.C.); do Rumansil (ocupado desde a segunda metade do séc. III d.C. até ao séc. V d.C.); do Zimbro II (com ocupação desde o séc. I d.C. até ao séc. IV d.C.; da Colodreira/ Escorna Bois (com ocupação a partir dos finais do séc. II d.C. até aos sécs. VI d.C.); entre outros. No que é hoje a área urbana da freguesia de Freixo de Numão, deve ter existido um importante castro (Idade do Ferro), depois fortemente romanizado. Vestígios de um grande vicus ou até mesmo de uma provável civitas, jazem debaixo de casas e ruas da zona antiga da freguesia. Referência (através de achados epigráficos) a deuses e deusas como Juno, lovi (Júpiter), Lares, Breaegui, Turocicis favorecem as suspeitas da existência dessa civitns!






Em bom estado de conservação encontra-se o troço de 500 metros de calçada romana no lugar de Regadas, bem como uma lagareta cavada na rocha, ferraria e provável Mutatio.

No sítio do Laranjal, um conjunto de quatro lagaretas cavadas na rocha quererão dizer-nos da importância de todo aquele vale, na era dos imperadores, no que toca à produção vinícola.


da Alta e Baixa Idade Média, os vestígios mais significativos encontramo-los na Igreja Medieval do Prazo . Variados tipos de sepulturas, infra e extra-muros da "velha igreja", quererão indicar-nos tempos diferentes, rituais distintos executados por homens de diferentes épocas. Cerca de quatro dezenas de esqueletos foram exumados e encontram-se em fase de estudo.



No fundo das Regadas pode ainda apreciar um raro exemplar de Moinho de Cubo com a data de 1715.
A juntar a este valioso património arqueológico, um riquíssimo património natural, onde sobressai a Reserva Florística da Mela, O Forno-Anta da Colodreira, as quedas de água do Pontão das Três Bocas.

Por tudo isto, a zona de Freixo de Numão (antiga S. Pedro de Freixo) merece a nossa e vossa visita.





Localização das Ruínas do Prazo

A Estação Arqueológica do Prazo situa-se na localidade de Prazo, em Freixo de Numão (Guarda). Ver a localização das ruínas no Google Maps.  Coordenadas GPS: N 41 04.112′ W 007 14.598′
Para chegar às ruínas do Prazo, existem duas opções:  A partir da freguesia de Freixo de Numão, pelo caminho do Tanque do Sapo. A partir do Alto da Touca, pelo caminho dos Bons Ares e Alto de Santa Eufémia. A distância é de cerca de 3 km de ambas as freguesias.


Fonte:cm-fozcoa
Fotos:Sapo
Informação de Localização: Os meus Trilhos)

segunda-feira, 11 de novembro de 2019

11 de Novembro Dia de São Martinho....conheça a Lenda!







"No dia de S. Martinho, vai à adega e prova o vinho." O dia de São Martinho é celebrado a 11 de Novembro e traz consigo o ritual de fazer um magusto - assar castanhas e comê-las numa celebração com amigos e familiares e, também, de provar o vinho novo da colheita do verão anterior. O fenómeno do "verão de São Martinho" - nesta altura costumamos ser brindados com alguns dias de sol - está relacionado com a lenda deste bom santo. Conheça esta história que aquece os corações!

Conta a lenda que num chuvoso e frio dia de Novembro um nobre soldado romano, ao regressar a casa depois de uma dura e longa batalha, encontrou um mendigo com as roupas todas rasgadas, cheio de frio e de fome. Sem pensar duas vezes, o soldado pegou na sua aconchegante capa de lã e com um rápido golpe de espada cortou-a ao meio, dando uma das metades ao pobre homem. Este ficou muito emocionado e revelou-lhe que muitas pessoas haviam passado por ali, mas nenhuma delas tinha sequer olhado para ele.

O soldado, apesar de cansado da longa e dura batalha que travara, apiedou-se do homem que se encontrava no caminho e, como recompensa, Deus fez com que a chuva e o vento parassem. As nuvens abriram e deram lugar a um sol radioso que os aqueceu e secou. Este homem chamava-se Martinho e, a partir desse dia, e durante pelo menos três dias, o sol aquece o frio e chuvoso mês de Novembro. É o chamado Verão de São Martinho.


São Martinho nasceu na actual Hungria, no ano de 313, em pleno domínio romano. Este Santo lutou contra tudo e contra todos, inclusive contra o seu próprio pai, para defender a sua vocação e a sua crença em Deus. Apesar de ter feito parte de um contingente militar romano, para agradar a seu pai, São Martinho nunca deixou de defender os fracos e oprimidos e de lutar contra a injustiça.

Ao chegar à conclusão que a sua vida não tinha sentido, Martinho abandonou o exército e partiu de casa, abraçando uma vida de isolamento e reflexão. Desenvolveu um importante trabalho de evangelização, ajudando a converter ao Cristianismo inúmeros povos.

É habitual festejar-se o Dia de São Martinho comendo castanhas e bebendo água-pé. Aparentemente não existe uma relação directa entre estes acontecimentos. Pensa-se, no entanto, que a tradição teve a sua origem porque em Novembro é a época das castanhas, coincidindo com o final das vindimas e com a preparação dos primeiros vinhos. E os ditados populares não nos deixam dúvidas:

“No Dia de S. Martinho, lume, castanhas e vinho.”

"Por S. Martinho semeia fava e o linho.

"Se o inverno não erra o caminho, tê-lo-ei pelo S. Martinho."

"No dia de S. Martinho, castanhas, pão e vinho."

"No dia de S. Martinho com duas castanhas se faz um magustinho."
 

Rara passagem de Mercúrio à frente do Sol vai ser visível hoje em Portugal





O dia de São Martinho vai trazer aos céus de Portugal um fenómeno raro que só voltará a acontecer daqui a 13 anos. O planeta Mercúrio vai passar entre a Terra e o Sol esta segunda-feira, 11 de novembro, entre as 12 horas, 35 minutos e 33 segundos; e as 18 horas, 03 minutos e 56 segundos. É um evento astronómico que só aconteceu 37 vezes desde 1631 e só voltará a acontecer daqui a 13 anos, a 13 de novembro de 2032.


domingo, 10 de novembro de 2019

Amanhã prepare-se para observar um fenómeno raro: Mercúrio vai passar à frente do sol e será visível em Portugal!



Esta segunda-feira, 11 de novembro, esteja atento ao céu: irá acontecer um fenómeno raro. O planeta Mercúrio vai passar entre a Terra e o Sol durante sete horas e meia, só voltando a repetir-se daqui a 13 anos.

Em Portugal, o seu auge acontece por volta das 15h36, quando o planeta já estiver a meio caminho, sendo que começa às cerca de 12h35 e termina pelas 18h04.

Mas, atenção: não deve olhar diretamente para o sol. Para ver o ponto negro passar tem de usar um telescópio com ampliação de entre 50 a 100 vezes, equipado com filtro solar, segundo as recomendações do Observatório Astronómico de Lisboa.




Fonte: daqui