terça-feira, 18 de setembro de 2018

Vira do Minho..... a dança rainha do Alto Minho!




O Minho é uma região com uma paisagem verdejante, terra do Vinho Verde e de romarias seculares (Romaria da Sra da Agonia, de S. João D’Arga e de S. Bartolomeu do Mar, entre outras), onde o povo reza, canta e dança com uma alegria contagiante.


Das suas tradições, usos e costumes muito se poderia dizer, assim como dos trajes (particularmente os das mulheres), sem esquecer os «lenços dos namorados». É a terra do Vira....











O Vira do Minho
 

O Vira do Minho é a dança rainha do Alto Minho. As arrecadas e os fatos minhotos ajudam a completar o cenário. Dispostos em roda os pares de braços erguidos, vão girando vagarosamente no sentido contrário ao dos ponteiros do relógio. Os homens vão avançando e as mulheres recuando. A situação arrasta-se até que a voz de um dançador se impõe, gritando 'fora' ou “virou”. Dão meia-volta pelo lado de dentro e colocam-se frente-a-frente com a moça que os precedia. Este movimento vai-se sucedendo até todos trocarem de par, ao mesmo tempo que a roda vai girando, no mesmo sentido.


Mas este é apenas o mais simples dos viras de roda, pois outros há com marcações mais complexas.


E são muitos os nomes em que se desdobram: vira, fandango de roda, fandango de pares, ileio, tirana, velho, serrinha, estricaina, salto, entre outros. Viana é famosa quando se trata de encenar o vira. Mas não é a única. Chegamos à região de Braga e logo nos surge o 'vira galego´, “despido da opulência primitiva", como o caracterizou, Pedro Homem de Mello.


Caminhamos pela costa em direcção ao sul e o vira não desiste. A par do vira enérgico do Minho, vamos encontrar o vira de seis em terras de pescadores.

Sem comentários:

Publicar um comentário