segunda-feira, 21 de janeiro de 2019

Castelo de Lindoso



O Castelo de Lindoso fica junto à fronteira com o nosso país vizinho e ao lado do curso das águas do rio Lima. Consiste num dos mais valorizados monumentos militares portugueses graças à sua localização estratégica entre as serras da Peneda e do Gerês e às novidades técnicas e estilísticas presentes na sua construção medieval. 
 
 
 


Embora ainda subsistam algumas dúvidas acerca da origem desta fortaleza, é quase certo que ela é de origem medieval e do tempo de D. Afonso III. Da sua construção original ainda sobram algumas infraestruturas que valem a pena ser admiradas como é o caso da sua porta principal com arco quebrado e virada para a vila. Exibe o escudo do monarca considerado um elemento propagandístico e revelador do patronato e do marco histórico que a originou. 
 

Este castelo é um marco na arquitetura militar, uma vez que foi com ele que se deu início às construções com técnicas novas que vieram marcar as construções seguintes. Muito ligado à tradição românica, nomeadamente no que diz respeito às torres que se apresentam a flanquear as suas muralhas, parece ter sido exigência deliberada pela rapidez que se pretendia na construção e ainda pela economia dos meios.

No entanto, já aparecem elementos considerados góticos pelo menos na decoração da torre de menagem e num dos panos que se encontra oposto à porta principal. Também a defesa dos muros faz a exibição desses elementos. 
 
 

As muralhas apresentam-se com um perímetro relativamente pequeno e regular contrariamente às edificações românicas da altura que se adaptavam às curvas do terreno. As esquinas são redondas de forma a permitir a visibilidade dos seus arredores. Quanto à torre de menagem apresenta apenas dois pisos, pouco alta e ampla fazendo dela uma obra de transição.

O citado monumento foi também alvo das restaurações do estado-novista tendo decorrido alguns trabalhos durante a década de quarenta do passado seculo. Nesta altura surgem a reconstrução de muralhas e ameias, a demolição de estruturas no pátio, conservando-se a cisterna e as dependências do governador.

Sem comentários:

Publicar um comentário