domingo, 24 de fevereiro de 2019

Na aldeia submersa de Vilarinho das Furnas....as suas memórias não se afogaram!





A aldeia de Vilarinho das Furnas, situada na freguesia de São João do Campo, no concelho de Terras de Bouro, no Minho, deixou de existir em 1971 devido à subida das águas do Rio Homem provocada pela construção de uma barragem no local.
 
Vilarinho das Furnas, era uma aldeia da freguesia de Campo do Gerês, situada no concelho de Terras de Bouro, distrito de Braga, e desde 1971 que se encontra submersa pela albufeira da Barragem de Vilarinho das Furnas. Num recanto praticamente isolado e perdido entre a Serra Amarela, a norte e poente, e a Serra do Gerês, a sul e nascente, é possível ainda observar algumas das casas, em ruínas, quando o nível das águas desce, em período de seca, ou quando a barragem liberta água para limpeza. Como é costume na zona do Minho, as casas de Vilarinho eram compostas por dois pisos: o piso térreo, para guardar o gado e recolher as máquinas agrícolas, e o andar superior que servia de habitação. Era conhecida pelo regime comunitário que funcionava autonomamente das leis gerais e nacionais. Quem as elaborava e as fazia respeitar era uma junta de seis elementos dirigida por um zelador. Essa junta era constituída pelos chefes de família eleitos onde o homem era preponderante. As mulheres poderiam ter assento na junta se fossem viúvas ou se o marido tivesse emigrado. Na altura da sua extinção, em Outubro de 1970, habitavam a aldeia cerca de 250 pessoas, em 57 famílias. O acesso é feito a pé, cerca de um quilómetro, desde a barragem, através de uma estrada de terra batida que ladeia o rio na margem esquerda, (olhando a norte). Pelo caminho terá a possibilidade de observar a imensidão da albufeira gerada pela barragem e, passará também por uma pequena cascata que termina nas águas da albufeira.

Ler mais em: https://www.diariodoviajante.pt/europa/portugal/peneda-geres-vilarinho-das-furnas/



 Vilarinho das Furnas foi uma aldeia comunitária, situada no sopé da Serra Amarela, na freguesia do Campo do Gerês, concelho de Terras de Bouro. Em 1971, esta aldeia da margem direita do Rio Homem, viu subir as águas deste e o silêncio abraçou-a de vez.
Mas as suas memórias não se afogaram e vivem hoje nos antigos moradores e seus descendentes que a recordam com muita saudade.







 Acredita-se que a aldeia teve origem há cerca de 2000 anos. A sua história termina no século passado, após ter sido vendida para ali ser possível construir uma barragem. Na época, a aldeia era habitada por 300 pessoas que, entre 1969 e 1970, foram recolocadas nos concelhos vizinhos. A aldeia ficou submersa em 1971.

 A barragem de Vilarinho das Furnas foi inaugurada um ano depois, no dia 14 de maio. Apesar de ter sido engolida pelas águas do rio Homem, a aldeia não desapareceu por completo.

Sempre que as águas da barragem descem, consegue-se ver as ruínas da aldeia. Fica-se a imaginar como era a vida dos aldeões de Vilarinho das Furnas.

Junto à Barragem, encontra-se o Centro Interpretativo de Vilarinho das Furnas onde pode obter mais informações para reconstruir o passado da aldeia.







 


























Fonte: daqui

Sem comentários:

Publicar um comentário