sexta-feira, 22 de fevereiro de 2019

É uma das cidades romanas mais bem conservadas em Portugal. Miróbriga resistiu à passagem do tempo para reviver o passado.




Ruínas Romanas de Miróbriga


A pouca distância de Santiago do Cacém, envolto pela planície alentejana, Miróbriga é um dos locais arqueológicos que melhor representa a passagem do povo romano pelo território português.

As ruínas, que ocupam aproximadamente 2 km de extensão, encontram-se em bom estado de conservação, o que levou a que fossem classificadas como Imóvel de Interesse Público, em 1940.







E não falamos de uma pequena vila romana, mas de uma cidade inteira. Aqui pode avistar edifícios de habitação, ruas pavimentadas e uma ponte. Claro está que nenhuma cidade romana existia sem as conhecidas termas — onde a população ia a banhos —, templos e fórum. Em Miróbriga, este último localiza-se na parte mais elevada da cidade e consistia numa praça pública em torno da qual se dispunham vários edifícios públicos.

Outro dos elementos mais distintos desta cidade antiga é o hipódromo, localizado a cerca de 1 km do núcleo arqueológico de Miróbriga. Um dos poucos na Península Ibérica a resistir à passagem do tempo.









Localizada numa zona prolifera em recursos agrícolas, marítimos e minerais, Miróbriga terá sido um dos principais centros urbanos do sudoeste alentejano, tendo um papel fundamental nas rotas de comércio.

Para conhecer melhor a história desta cidade, abandonada no século IV, visite o Centro de Acolhimento e Interpretação de Miróbriga e a sua exposição permanente. As visitas decorrem de terça-feira a domingo, das 9H00 às 12H00 e das 14H00 às 17H30.







Adaptado: daqui

Sem comentários:

Publicar um comentário