domingo, 14 de abril de 2019

A praia de Albandeira surpreende-nos pelo encanto - um pequeno promontório divide-a em dois areais, acariciados por um mar de um azul puro e luminoso. O conjunto aninha-se, como uma safira, entre pequenas arribas rendilhadas.




Com a praia de Albandeira, o termo “recanto” ganha um novo significado. Para lá chegar, o visitante terá de percorrer uma estreita estrada que parece já não ser destes tempos. Tal como muitos dos caminhos da região no século passado, serpenteia por entre velhos muros de pedra solta, constituindo, por si só, como que um espaço eco museológico.

Atravessam-se assim 2 km de característicos matos mediterrânicos que vão ocupando antigos pomares de sequeiro há muito abandonados.

Também se pode chegar pelo litoral através das rochas e dos túneis naturais.








 É uma praia pouco frequentada e tranquila. No alto dos penhascos existem dois miradouros que permitem desfrutar da bela paisagem.

O areal é pequeno e encontra-se dividido por um afloramento rochoso que origina abrigos, quase sempre aproveitados pelos banhistas, bem como piscinas naturais. Nas arribas que envolvem a praia é visível a ação modeladora do mar sobre a rocha, observando-se grutas escavadas na base da arriba. O ambiente cársico típico deste troço de costa, com as suas grutas, galerias subterrâneas e plataformas rochosas repletas de cavidades, é eleito por diversos animais, sobretudo aves marinhas e morcegos, como local de refúgio e de criação.











Acesso viário alcatroado a partir de Lagoa ou então da EN 125, virando para sul junto à Escola Internacional do Algarve e seguindo as indicações para a praia. Estacionamento amplo e informal. Equipamento de apoio (restaurante e wc) e vigilância na época balnear. Orientação: sudeste.


GPS: 37° 5'27.84"N 8°24'0.72"W





Sem comentários:

Publicar um comentário