quarta-feira, 4 de setembro de 2019

A fantástica história das cabras selvagens do Gerês





Terá sido no final do século XIX que os últimos exemplares de cabra-montês foram avistados em Portugal. Há relatos de que um grupo de guardas florestais do Gerês terá capturado uma das últimas fêmeas que ficou atolada num terreno lavrado, após fortes chuvadas.

A caça excessiva terá sido a causa do desaparecimento desta espécie, que durante séculos foi das mais presentes na região do Gerês. Exemplo disso é um relato do século XVII, onde o Padre Carvalho da Costa descreve a Serra do Gerês como um lugar de “cabras-bravas com ferozes cabrões”.

Durante mais de um século os animais desapareceram por completo de Portugal, até que no final de 1999 voltou a ser vista no Gerês. Aos poucos, o número de exemplares da cabra-montês foi crescendo e hoje já existirão mais de 300 animais.

Na origem deste inesperado regresso poderá estar uma fuga. É que a vizinha Espanha tem em curso, há vários anos, um programa de reintrodução da espécie. Foi ao abrigo desse programa que 70 animais foram colocados em vários cercados, na região do Parque Natural da Baixa Límia-Serra do Xurês.

Os investigadores acreditam que terão fugido daí diversas cabras-montês às quais se juntaram outras 25 libertadas entretanto pelos espanhóis. São elas – e seus descendentes – que se passeiam agora entre a Serra Amarela e a linha de fronteira que separa o Gerês do Xurês.

O nome formal desta espécie é Capra Pyrenaica, sendo que o macho atinge o 1,48 m de comprimento e 0,77 m de altura, podendo pesar 110 quilos. Os machos destacam-se ainda pela grossura dos cornos, capazes de atingir o triplo do comprimento dos das fêmeas. Caracterizam-se pelo focinho mais alargado e a típica barba de bode escura debaixo da mandíbula.

Um dos aspetos mais interessantes da cabra-montês é que apenas o macho dominante de cada grupo se reproduz. Para determinar qual deles é o dominante, todos os anos os machos rivais se envolvem em violentas trocas de cornadas.

Além da caça, são ainda ameaçadas pelo lobo que não tem, no entanto, tarefa fácil, visto que a cabra-montês é um alpinista hábil, escapando facilmente entre as escarpas e terreno montanhoso.


* Foto DR - © Quinta dos Carqueijais

Sem comentários:

Publicar um comentário