quinta-feira, 2 de novembro de 2017

Menino Jesus da Cartolinha atrai visitantes a Miranda do Douro


A Sé Catedral de Miranda do Douro tem uma figura religiosa enigmática. Trata-se do Menino Jesus da Cartolinha.

A lenda vem do período de 1706 a 1713. Foi neste tempo, mais concretamente, em 1711 que o exército castelhano invadiu Miranda e a assolou durante vários meses.

Quando a cidade se encontrava invadida, saqueada e vexada pelos castelhanos e sem esperança de remissão, esperando o reforço das nossas tropas que nunca mais chegava, aparece nas muralhas um menino vestido de fidalgo cavaleiro chamando os mirandeses e gritando às armas contra os invasores. De todas as casas sai gente armada de foices, gadanhas, espingardas e varapaus para escorraçar os espanhóis.

À frente dos mirandeses o menino ora aparecia ora desaparecia, até que no fim da luta e depois da cidade libertada o menino não mais se viu. Procuraram-no por toda a parte, mas em vão. O pequeno "General" tinha desaparecido. Os mirandeses consideraram que se tratava de um autêntico milagre esta vitória contra os espanhóis e que foi sem dúvida um favor muito grande do Menino Jesus.

Mandaram então esculpir uma imagem do Menino Jesus vestido de fidalgo cavaleiro, à maneira do tempo e colocaram-no num altar da catedral.






Outro aspeto que caracteriza esta imagem é o seu abundantíssimo enxoval, constituído por peças de roupa miniaturais que as gentes de Miranda têm oferecido ao Menino ao longo dos tempos. Entre as peças de roupa mais recentes, contam-se fardas da GNR e da PSP, que foram recentemente oferecidas pelo antigo minstro da Administração Interna, Rui Pereira, que é natural do concelho, mais propriamente da freguesia de Duas Igrejas (Dues Eigreijas em mirandês). Vale a pena entrar na bela Sé de Miranda do Douro e dar uma olhada atenta a esta encantadora imagem, pois ela merece.





A Catedral de Miranda do Douro, antiga Sé de Miranda do Douro, é um templo católico cuja construção teve início em 1552, inserindo-se na tipologia de sés mandadas construir por D. João III, com uma fachada harmónica, em que um corpo central é ladeado por duas poderosas torres, e um interior em três naves abobadadas à maneira gótica, com cruzaria de ogivas de nervuras visíveis. O templo foi concluído na última década do século XVI. O projecto foi feito por Gonçalo de Torralva e de Miguel de Arruda.

Em 1566 o bispo D. António Pinheiro consagrou o altar-mor e em 1609, D. Diogo de Sousa informa o Papa que a construção fora concluída.

Igualmente digno de nota é o retábulo de Nosso Senhor da Piedade, em talha barroca de boa qualidade e o órgão do século XVIII, de igual modo profusamente decorado com talha dourada. A história da cidade foi bastante atribulada, pela sua condição de fronteira. Em 1710, por exemplo, caiu em poder espanhol e novamente em 1762. Terá sido esta ocupação estrangeira o motivo principal para a mudança do bispo para Bragança, cidade menos exposta a ameaças externas.

Classificação
MN - Decreto de 16-06-1910, DG n.º 136, de 23-06-1910

Horário
Dias de encerramento:
Segundas, Terças (de manhã)

Horário de visita:
De Quarta a Domingo, das 09:00 às 12:30 e das 14:00 às 17:30
Terça das 14:00 às 17:30













Texto adaptado Daqui
e daqui

Sem comentários:

Publicar um comentário