sexta-feira, 28 de setembro de 2018

Mercado de peixe de Setúbal é um dos melhores do mundo




Os mercados de peixe espalhados pelo mundo podem mostrar a pesca local mas também um pouco da cultura da zona. São palavras de Mark Drabich, presidente da Metropolitan Seafood & Gourmet, ao “USA Today”.

Foi a partir desta conversa que o jornal norte-americano elaborou uma lista com os mais famosos mercados de peixe do mundo e da “preciosa fonte de comida”.

Portugal também tem um lugar nesta seleção e está representado pelo mercado de peixe do Livramento em Setúbal, que se junta a Tsukiji (no Japão), considerado o maior do mundo.

A publicação destaca que Setúbal é “uma área com uma grande tradição de pesca” e sublinha que, naquele mercado, a estrela é a sardinha. Chegam mesmo a recordar que Portugal consome 13 sardinhas por segundo no mês de junho, mês das festas populares de St. António, S. João e S. Pedro.


















Inaugurado em 1930, é um edifício em estilo Arte Deco. Ostenta, no topo sul, um conjunto de painéis de azulejos azuis e brancos da autoria de Pedro Pinto, que representam cenas do quotidianos dos setubalenses de então, como sejam as lides da pesca, do sal, da lavoura e do mercado. No interior o ambiente é vivo e colorido.










 

Morada e Horário


Avenida Luísa Todi, n.º 163
Telf.: 265 522 377
Funciona de terça-feira a domingo, das 07h30 às 14h00
(Encerra às segundas-feiras e nos feriados dias 1 de janeiro, 25 de abril, 1 de maio, 15 de setembro e 25 de dezembro)





Diga adeus ao verão. Este outono vai ser o mais chuvoso dos últimos dez anos






Este outono deverá ser o mais chuvoso dos últimos 10 a 15 anos....citando Mário Marques, especialista em clima, o verão não se vai prolongar e o outono será, inclusive, dos mais chuvosos da última década, ao contrário do que aconteceu no ano passado em que, em pleno novembro, havia zonas do País onde se registaram mais de 30 graus.



Por isso prepare o guarda chuva, os dias quentes e ensolarados estão a terminar.





















quinta-feira, 27 de setembro de 2018

Chalet da Condessa d´Edla em Sintra guarda a memória de uma das grandes histórias de amor da História portuguesa




Após uma importante intervenção de restauro, na sequência de um incêndio que o destruiu parcialmente, abriu ao público este edifício que guarda a memória de uma das grandes histórias de amor da História portuguesa e integra o programa de visita do conjunto monumental do Parque da Pena, na Serra de Sintra, a primeira Paisagem Cultural Património da Humanidade classificada pela Unesco.





Foi construído, segundo o modelo dos chalets alpinos em voga na Europa na segunda metade do século XIX, pelo rei consorte D. Fernando II para a Condessa d’Edla, cantora lírica por quem se apaixonou e se viria a casar em segundas núpcias em 1869, 16 anos depois da morte da rainha D. Maria II.




 




O edifício, com uma forte carga cénica segundo o espírito romântico da época, é totalmente revestido de pintura mural, sublinhada no exterior pelo uso de cortiça como elemento decorativo nas ombreiras das portas, janelas e óculos. Do conjunto sobressai uma típica varanda que circunda todo o piso superior. Os interiores são ricos e bem trabalhados, com estuques, frescos e embutidos de cortiça e cobre.




















Nos jardins que envolvem o chalet, D. Fernando e a Condessa d’Edla, influenciados pelo espírito coleccionista da época, reuniram espécies botânicas provenientes dos quatro cantos do mundo. Em particular, de referir a Feteira da Condessa, um dos locais mais exóticos do jardim, onde foram cuidadosamente introduzidos fetos arbóreos da Austrália e da Nova Zelândia de modo a criar um cenário romântico repleto de dramatismo.






Contactos



Morada:
Estrada da Pena
2710-609 Sintra


Telefone:
+351 21 923 73 00

Fax:
+351 21 923 73 50

E-mail:
info@parquesdesintra.pt
Website: http://www.parquesdesintra.pt

Viseu foi eleito o melhor concelho de Portugal para ser feliz


No estudo "Portugal à Escolha do Consumidor", os inquiridos foram convidados a escolher os melhores concelhos nas categorias “Lifestages”, “Living”, “Lifestyle” e Serviços.

Viseu surge nos lugares cimeiros em quase todas as categorias do estudo “Portugal à Escolha do Consumidores”. É o concelho escolhido pelos inquiridos como o que tem melhor qualidade de vida, maior segurança, com melhor limpeza dos espaços públicos e o melhor para comprar casa.

Lisboa e Porto são os concelhos que mais aparecem nos 'tops' das várias categorias.



Melhor concelho para viver


1º Lisboa

2º Viseu

3º Porto

Melhor concelho para ser feliz

1º Viseu

2º Porto

3º Lisboa

Melhor concelho para ter melhor qualidade de vida

1º Viseu

2º Leiria

3º Braga

Melhor concelho para os jovens

1º Lisboa

2º Porto

3º Coimbra

Melhor concelho para idosos

1º Viseu

2º Lisboa

3º Coimbra

Melhor concelho para famílias
1º Lisboa

2º Viseu

3º Coimbra

Melhor concelho para comprar casa
1º Viseu

2º Braga

3º Leiria

Melhor concelho para fazer férias

1º Portimão

2º Faro

3º Ponta Delgada (Açores)

Melhor concelho para usufruir da natureza
1º Ponta Delgada (Açores)

2º Sintra

3º Braga

Conheça a receita tradicional de pasteis de bacalhau com 200 anos


Na região norte do país, os famosos pastéis de bacalhau são conhecidos por bolinhos de bacalhau. Apesar dos desencontros sobre a sua verdadeira região de origem, a base da receita é a mesma, só o nome é que muda.

A primeira receita registada oficialmente à cerca de 200 anos está no livro “Tratado de Cozinha e Copa”, de Carlos Bandeira Melo.

A partir desta base, muitas variações foram criadas. 


Prepare o seu paladar e dos seus convidados para um prato inesquecível.



Ingredientes:


400 g de bacalhau demolhado;
200 g de batatas;
1 cebola;
1 raminho de salsa;
4 ovos;
sal;
óleo para fritar 


(o número de ovos pode variar segundo o seu tamanho e da qualidade da batata)


Preparação:


Cozem-se as batatas com a casca, descascam-se e reduzem-se a puré no passe-vite fino. Coze-se o bacalhau, escorre-se, limpa-se de peles e espinhas e esfrega-se muito bem num pano limpo e grosso, até ficar completamente desfeito em fios.
Numa tigela, junta-se o puré de batata, o bacalhau, a cebola e a salsa picadas finamente, e rectifica-se o tempero de sal. Juntam-se os ovos inteiros, um a um, mexendo até se obter uma massa com consistência ideal.
Moldam-se os pastéis com a ajuda de duas colheres de sopa e fritam-se em óleo abundante e bem quente.


 http://www.receitasdeportugal.com
adaptado de: https://www.vidaativa.pt





quarta-feira, 26 de setembro de 2018

Entradas gratuitas em museus e degustação de produtos regionais marcam Dia Internacional do Turismo





Celebrado anualmente a 27 de setembro, o Dia Mundial do Turismo tem como objetivo "alertar a comunidade global para a importância do turismo a nível social, político e económico, sublinhando o vasto potencial do setor do turismo como agente de mudança positiva nos países e comunidades de todo o mundo".


Turismo e a transformação digital é o tema do Dia Mundial do Turismo (WTD) deste ano. Os avanços digitais estão a transformar a forma como nos ligamos e nos informamos, o nosso comportamento e a incentivar a inovação e o aparecimento de estratégias de crescimento sustentáveis e responsáveis.















Turismo Centro

 
O Turismo Centro de Portugal anunciou que vai realizar um conjunto de eventos e iniciativas comemorativas do Dia Mundial do Turismo, que se celebra na quinta-feira, dia 27 de Setembro. Este ano, o tema determinado pela Organização Mundial de Turismo para este dia é “O Turismo e a Transformação Digital”.
Os visitantes dos postos de turismo do Centro de Portugal vão ser surpreendidos por diversas iniciativas gratuitas que acontecerão neste dia. O destaque vai para massagens, oferecidas pela Termas Centro, degustações de produtos regionais, showcooking e oferta de merchandising, entre outras ações promocionais.
Além destes momentos nos postos de turismo, oferecidos pelo Turismo Centro de Portugal, toda a região vai realizar iniciativas culturais diversas, promovidas pelos municípios e pelas empresas de animação turística que operam no território.



Madeira

O Museu da Eletricidade, a Casa Museu Frederico de Freitas, o Museu Etnográfico da Madeira, Museu de Arte Sacra (Acesso gratuito à Torre, mediante entrada paga no Museu), o Museu do Brinquedo da Madeira, o Museu Militar da Madeira, o Museu de História Natural do Funchal, o MUDAS. Museu de Arte Contemporânea – Calheta, e a Casa Museu Colombo – Porto Santo, são os museus que terão entrada gratuita esta quinta-feira na Madeira.

Com entradas gratuitas vão estar ainda os Jardins da Quinta Vigia, os Jardins do Palheiro, o Parque Temático da Madeira (Desconto 20% entrada), o Universo de Memórias João Carlos Abreu, o Núcleo Museológico Rota da Cal – São Vicente, e a Companhia dos Engenhos do Norte – SORUM – Porto da Cruz.

No Funchal este dia é assinalado com uma mesa redonda, no Teatro Municipal Baltazar Dias, pelas 18h00, com o tema ‘Que Turismo Queremos?’. No Mercado dos Lavradores os turistas vão ser recebidos com uma mensagem de boas-vindas e ainda flores.

No âmbito das comemorações do turismo os turistas vão ser recebidos com brindes e flores, através da iniciativa ‘obrigada pela sua visita’, onde também será possível fazer degustação de produtos regionais, na Avenida Arriaga e no Aeroporto da Madeira.
A degustação de produtos regionais vai decorrer na Avenida Arriaga e no Aeroporto da Madeira.









Vila do Conde

 
Na Loja Interativa de Turismo, no Posto de Turismo e no Albergue de Santa Clara será entregue um voucher que permitirá visitar os vários núcleos museológicos da cidade.

Para além do voucher, será também oferecido um kit promocional de Vila do Conde e servido um Porto de Honra com degustação de pão doce tradicional e de doces conventuais.


Chaves

Chaves vai promover duas visitas-guiadas ao Museu das Termas Romanas, em dois períodos do dia, nomeadamente às 10h30 e às 15h30, bem como entrada gratuita em todas as secções do Museu da Região Flaviense e desconto de 50% no bilhete de entrada no Museu de Arte Contemporânea Nadir Afonso.




Castro Marim

A Câmara de Castro Marim leva turistas numa visita à vila


A Câmara Municipal de Castro Marim vai assinalar amanhã, quinta-feira, 27, o Dia Mundial do Turismo, com uma visita gratuita aos principais pontos da vila destinada aos turistas.

Procurando uma maior adesão à iniciativa, e numa sinergia de recursos, a autarquia coloca à disposição dos turistas hospedados nos principais hotéis do Baixo Guadiana o transporte Linha Azul, um projeto municipal lançado em junho que pretende aproximar os visitantes do património material e imaterial do concelho.

A visita passa pelo Castelo, Revelim de Santo António, Casa do Sal e Mercado Local, um roteiro que salienta essencialmente o conhecido património histórico da vila castromarinense, mas sem esquecer as delícias gastronómicas, com degustações de produtos locais pelos vários sítios.

A visita termina pelas 13:00 horas, no Mercado Local de Castro Marim, onde os turistas podem também contactar com os diferentes tipos de artesanato do concelho, como a tecelagem ou a empreita.

“Hoje, o despertar emoções e sentidos é determinante na construção da memória de um destino. É isso que queremos despertar a quem nos visita e fazer sempre lembrar Castro Marim, esta terra cheia de histórias”, refere, em comunicado, a vice-presidente da autarquia, Filomena Sintra, sobre a iniciativa.


Faro
 
Faro com várias iniciativas
A capital algarvia,comemora o dia com algumas iniciativas dirigidas aos turistas, promovidas pelo município de Faro.

A presença de promotoras com molduras fotográficas alusivas ao dia, que interagirão com os visitantes, oferecendo uma recordação da sua passagem por Faro, é uma das principais iniciativas.

As promotoras estarão no mercado municipal, entre as 9:00 horas e as 12:00, e no Arco da Vila, entre as 14:00 e as 18:00.

No jardim Manuel Bivar, o município vai apoiar a realização de uma ação de tricotar, organizada pela Fundação Três Culturas, no âmbito do programa comunitário Europa Criativa, a partir das 11:00.

Esta iniciativa junta um grupo de 20 visitantes espanhóis a mais 20 portugueses, que durante duas horas vão tricotar em conjunto, ao ar livre, convidando quem passa a aprender a tricotar.

O trabalho resultante será colocado/enrolado nas correntes na marina, em género de corrente de partilha e de oferta à cidade.


Albufeira


A Câmara Municipal de Albufeira prepara-se para celebrar o Dia Mundial do Turismo, a 27 de setembro, com um dos eventos mais aguardados: a apresentação do programa que irá animar o Fim de Ano de Albufeira, um marco no calendário nacional nessa época do ano. A iniciativa vai ter lugar na Sala Azul do Inatel Praia Hotel, pelas 17h30, e irá contar com os protagonistas da noite de Fim de Ano, celebrada na Praça dos Pescadores.

Durante o Dia Mundial do Turismo, quem tiver curiosidade em conhecer o Museu Municipal de Arqueologia poderá fazê-lo de forma gratuita. Além da exposição permanente e do espólio do Museu, poderá ainda apreciar a mostra temporária "Albufeira, por Artur Pastor", que estará patente até 16 de dezembro. A exposição é centrada no fotógrafo de referência Artur Pastor que estabeleceu com o território algarvio, e em particular, com Albufeira, uma relação especial. Vinte anos após Artur Pastor ter realizado a sua última exposição, pretende-se mostrar parte do seu percurso e prestar uma homenagem ao legado que deixou para o concelho de Albufeira. A exposição é composta por dois núcleos expositivos, “Locais com Histórias” apresentada no Arquivo Histórico e “O mar e as suas gentes” presente no Museu. Cada uma das 77 imagens apresentadas transporta não só a sua visão, mas o encontro de várias histórias que ajudam a compreender e a interpretar a paisagem, a arquitetura, as pessoas e os modos de vida de Albufeira. O Museu está aberto das 9h30 às 12h30 e das 13h30 às 17h30 às terças, sábados e domingos e das 9h30 às 17h30 às quartas, quintas e sextas, encerrando à segunda-feira.

No Museu de Arqueologia, bem como noutros espaços culturais do concelho serão distribuídos postais alusivos à cidade de Albufeira.


Portimão

 
Município de Portimão, promove um conjunto de iniciativas com participação gratuita, junto do público residente e visitante.

Às 10h00, são dinamizadas duas caminhadas de aproximadamente quatro quilómetros, por Portimão e Alvor, em percursos com paisagens imperdíveis. Os pontos de concentração e partida têm no Jardim 1º Dezembro e no Complexo Desportivo de Alvor, respetivamente, e não carecem de inscrição prévia.

Por sua vez, para os residentes e visitantes que procurem ‘mergulhar’ na história desta cidade piscatória, a partir das 10h30, é dinamizada uma visita ao centro histórico de Portimão, com partida do Posto de Turismo Municipal.

A Quinta Pedagógica de Portimão, espaço didático e recreativo que reúne um conjunto de atividades relacionadas com o quotidiano do mundo rural, também se associa a esta comemoração e, a partir das 11h00, dinamizará um atelier de culinária bem especial, de como fazer pão com chouriço, que será posteriormente cozido no forno de lenha deste equipamento e degustado.

Os interessados em participar no passeio pelo centro histórico ou neste atelier de culinária, deverão efetuar, até ao dia 26 de Setembro, uma inscrição prévia no Posto de Turismo Municipal, situado no edifício do TEMPO – Teatro Municipal de Portimão, Largo 1.º de Dezembro, ou através do email: info@visitportimão.com ou telefone 282 402 487.

O Posto de Turismo Municipal abrirá, como habitualmente, para acolher os muitos visitantes que por esta altura escolhem Portimão como destino turístico à procura dos encantos do “verão de Outono” e, a partir das 15h00, e até às 17h00, recebe uma mostra e degustação de vinhos locais, em parceria com o produtor local “Herdade dos Pimentéis”.

Ainda durante o dia 27 de setembro, a entrada no Museu de Portimão será gratuita, funcionando este equipamento das 10h00 às 18h00 e, para os amantes da emoção e adrenalina, o Autódromo Internacional do Algarve oferece, neste dia, 25% de desconto em todos os alugueres individuais de karts, acima dos 5 minutos.

Loulé
 
Loulé dedica Dia Mundial do Turismo ao património e criatividade

Ao longo do dia, quem visitar a cidade será recebido na Alcaidaria do Castelo com uma degustação de bolos e licores regionais. Nesse dia, a entrada para o Museu será gratuita e os interessados poderão participar em diversos workshops da programação do projeto Loulé Criativo que irão decorrer entre as 11h00 e as 18h00.

Na parte da manhã, as comemorações começarão às 11h00, com uma atividade dinamizada pelo Atelier Mão que propõe ensinar a construir um cálamo e desenhar algumas peças expostas no Museu.

Às 15h00, Ana Figueiras, gastrónoma do projeto, irá desvendar alguns segredos para a confeção e moldagem dos tradicionais queijinhos de figo, elemento essencial da doçaria regional.

Às 16h00, o Loulé Coreto Hostel dinamizará uma atividade dedicada à gastronomia local: confecionar bolachas azeiteiras.

No final da tarde, o programa de workshops irá encerrar com uma atividade de pinturas da ca, em que os participantes irão desenhar os canteiros do Castelo.

Para o período da noite o ponto de encontro está marcado para as 21h00, no Museu Municipal, para um passeio à descoberta do “Património ao Luar” da Zona Histórica de Loulé, no âmbito das Jornadas Europeias do Património.

Todas as iniciativas têm lugar no âmbito do evento “O Desassossego dos Arcos”, a decorrer até ao próximo dia 30 de setembro, e são de participação gratuita com inscrição através do loulecriativo@cm-loule.pt . Mais informações através do telefone 289 400 894.

Turistas que aterram no aeroporto de Faro vão levar fotografias polaroides para casa


Os turistas que chegarem ao Algarve pelo aeroporto de Faro na próxima quarta-feira, 27, Dia Mundial do Turismo, vão poder levar uma fotografia para casa do momento em que pisaram pela primeira vez o solo algarvio.

A iniciativa é promovida pela Região de Turismo do Algarve (RTA), que desta forma simbólica celebra o Dia Mundial do Turismo com os milhares de passageiros que aterram por dia na infraestrutura aeroportuária.

De manhã, entre as 9:30 e as 12:30 horas, os turistas desembarcados encontrarão à sua espera molduras alusivas ao Algarve onde poderão ser fotografados.

Instantes depois terão nas mãos a polaroide que mais tarde os ajudará a recordar a história da viagem que fizeram ao maior destino de férias de Portugal.

“Esta ação simbólica permite-nos registar a passagem pela região daqueles que todos os anos contribuem para a notoriedade e a performance do Algarve enquanto destino turístico. É uma forma de lhes agradecermos por nos terem escolhido e de festejarmos o Dia Mundial do Turismo com quem o faz acontecer”, afirma, em comunicado, o presidente da RTA, Desidério Silva, que estará no aeroporto para acolher os turistas, entre as 10:30 e as 11:00.

Além dos photoflyers, a RTA distribuirá material promocional e brindes no balcão que estará na zona de chegadas, à semelhança de edições anteriores do Dia Mundial do Turismo, efeméride criada pela Organização Mundial do Turismo em 1980 para assinalar o contributo do setor para a economia.


Lisboa



A Confederação do Turismo de Portugal organiza a 4ª edição da Cimeira do Turismo que terá lugar no Teatro São Luís, assinalando o Dia Mundial do Turismo.



No Dia Mundial do Turismo, 27 de Setembro, a Confederação do Turismo de Portugal apresenta no Teatro São Luis a 4ª edição da Cimeira do Turismo.
O programa, que tem vários temas em destaque, contará também com as presenças de Marcelo Rebelo de Sousa, António Costa, Fernando Medina, Carlos Moedas, António Horta Osório, e outros.

Um dos temas em destaque será o aeroporto de Lisboa é que contaráno debate com os presidentes da ANA, NAV, TAP, ANAC e ainda o Coordenador do Projecto de Expansão Aeroportuária de Lisboa



A Confederação do Turismo de Portugal (CTP) reuniu um numero considerável de oradores nacionais e internacionais com o objectivo de debater os temas estruturantes para a esta actividade, como o novo Aeroporto de Lisboa, a gestão dos destinos turísticos e o valor da marca Portugal.


“O Turismo Primeiro: Sucessos do Presente. Desafios de Amanhã” é o mote desta quarta edição da Cimeira do Turismo, evento que constitui um importante momento de reflexão e diálogo sobre o Turismo.


Na sessão de abertura estarão presentes o Primeiro Ministro, António Costa, o presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Fernando Medina e o presidente da Carlos Moedas, Comissário Europeu, fará a sua intervenção no início da manhã.


“Portugal sabe o Valor da sua marca?” é o tema do primeiro painel que será conduzido pelo presidente do Turismo de Portugal, Luís Araújo, que irá moderar a conversa entre jornalistas.


“A afirmação do Turismo no Espaço Europeu” irá contar com as intervenções de Eduardo Santander, director Executivo do European Travel Commission, Tim Fairhurst, director of Policy at European Tourism Association e Christian Gsodam, Adviser to the EU Council President.
A moderação será da responsabilidade da eurodeputada Cláudia Monteiro de Aguiar.

Ana Mendes Godinho, secretária de Estado do Turismo, fará o encerramento da sessão da manhã.


A tarde será preenchida com temas como o aeroporto de Lisboa, a atracção de talento para o Turismo, a gestão de destinos turísticos e as perspectivas económicas nacionais e europeias.

“A gestão dos destinos turísticos” tem início pelas 14:45 com a apresentação do estudo da PWC sobre esta temática, seguindo-se uma conversa entre o vereador da Câmara Municipal de Lisboa, Manuel Salgado, Filipe Araújo, vice-presidente da Câmara Municipal do Porto, o presidente da Câmara Municipal do Funchal, Paulo Cafôfo, e o presidente da Câmara Municipal de Loulé, Vitor Aleixo.


“Como atrair talento para o Turismo?” será a questão colocada por Adília Lisboa, presidente da Direcção da ARHCESMO a Fernando Neves de Almeida, presidente da Boyden.

O painel “A urgência de um novo aeroporto para Lisboa” contará com a participação de Duarte Silva, coordenador do Projecto de Expansão Aeroportuária de Lisboa, Thierry Ligonnière, CEO da ANA, Jorge Ponce Leão, presidente da NAV, Antonoaldo Neves, presidente Executivo da TAP, e Luís Silva Ribeiro, presidente do Conselho de Administração da ANAC.


O presidente do Lloyds Banking Group, António Horta Osório, irá intervir pelas 17:30 e irá reflectir sobre “Perspectivas Económicas para Portugal e Europa”.

O Marcelo de Rebelo de Sousa, presidente da República presidirá à sessão de encerramento, que terá lugar pelas 18:00.

Pela quarta vez na sua história, a Confederação do Turismo de Portugal realiza a Cimeira do Turismo Português, um evento que apela à reflexão e ao debate construtivo sobre uma das actividades mais relevantes para o crescimento da economia em Portugal.

O Teatro Municipal S. Luiz acolhe a edição deste ano, que acontece a 27 de Setembro e assinala, como é habitual, o Dia Mundial do Turismo.





Bolo de chocolate endiabrado



Bolo

50 gr de bom cacau em pó
100 gr de açúcar amarelo
250 ml de água a ferver
125 gr de Vaqueiro para Bolos
150 gr de açúcar
225 gr de farinha sem fermento
1/2 c.chá de fermento
1/2 c.chá de bicarbonato de sódio
2 ovos grandes

Cobertura

125 ml de água
30 gr de açúcar branco
175 gr de Vaqueiro para bolos
300 gr de chocolate negro do melhor, picado fino
Tradicional

Pré-aqueça o forno a 180ºC e barre e enfarinhe uma forma de fundo amovível.

Coloca-se o cacau e 100 gr de açúcar amarelo numa taça e deita-se a água a ferver em cima, mistura-se e reserva-se.

Mistura-se a margarina e o restante açúcar amarelo, batendo até ficar fofo.

Coloca-se numa taça a farinha, o fermento e o bicarbonato de sódio, misturados.

Junta-se à margarina os ovos, a mistura da água e do cacau e os ingredientes secos.

Leve ao forno a 180º durante 30 a 40min.

Para a cobertura deita-se a água, o açúcar e a manteiga numa caçarola, vai ao lume baixo até derreter tudo e começar a fervilhar.

Retira-se a caçarola do lume e junta-se o chocolate partido aos bocadinhos, mexendo para derretê-lo. Depois bate-se para ficar macio e lustroso. Deixa-se assim durante 1 hora batendo-o de vez em quando.

Por fim coloca-se um bolo no prato, parte-se ao meio, barra-se generosamente com 1/3 do chocolate. Coloca-se a outra metade em cima, cobre-se com o resto do chocolate, espalhando com uma espátula, sem esquecer as laterais mas sem preocupações de perfeição em obter um aspecto liso.


 Foto:https://blog.giallozafferano
 

Benzedura do quebranto (mau olhado)


As benzeduras são rezas muito antigas, ensinadas de geração em geração, que devem ser ditas enquanto se faz o sinal da cruz à frente da pessoa que se está a benzer.



- Vai precisar de:

- 1 prato fundo com água

- 1 pouco de azeite numa tacinha

Preparação:

- Diga a seguinte oração em voz alta:

Deus te viu, Deus te criou
Deus te livre de quem para ti
com mal olhou.
Em nome do pai, do Filho
e do Espírito santo
Virgem do pranto,
quebrai este quebranto.


- Molhe o dedo no azeite e deixe cair três gotas no prato com água. Se as gotas se abrirem na água, ainda tem quebranto. Deite fora a água e repita a oração com água limpa no prato. Quando as gotas de azeite ficarem intactas na água, o quebranto foi tirado.


Fonte: http://www.receitasdeportugal.com

segunda-feira, 24 de setembro de 2018

A empreita de palma é uma atividade tradicional portuguesa e uma das principais formas de artesanato do Algarve









A empreita de palma é uma atividade tradicional portuguesa e uma das principais formas de artesanato do Algarve, produzida a partir das folhas da palmeira-anã – a única palmeira nativa da Europa – cuidadosamente trabalhadas até se obterem as tão apreciadas peças decorativas, ou para utilização no dia-a-dia.

Muitas vezes colhidas pelo próprio artesão, secas e separadas de acordo com a sua espessura, as folhas de palma de melhor qualidade são clareadas e podem ainda ser tingidas antes de serem entregues aos dedos hábeis do artífice que as hão de entrelaçar para ganharem as mais diversas feições.

No Algarve a empreita de palma surgiu primeiro para transportar os figos, as amêndoas e as alfarrobas e passou depois a ser usada em objetos quotidianos, na pesca e, finalmente, com fins decorativos, sendo hoje um clássico souvenir procurado pelos turistas que visitam a região.



Fonte: http://blog.turismodoalgarve.pt













domingo, 23 de setembro de 2018

Pasteis de Belém (a receita secreta)


Massa Folhada: 
250g de farinha
150g de margarina para folhados (à venda em lojas de pastelaria)
50g de margarina vegetal
2.5dl de água fria, aproximadamente
rolo da massa e espátula
1 pitada de sal
farinha para polvilhar q.b.



Creme:


60g de farinha
500 ml de leite
1 pedacinho de casca de limão
1 pau de canela
500g de açúcar
2.5dl de água
7 gemas de ovo



Creme:
Num tacho, desfaça 60g de farinha com um pouco de leite de modo a não criar grumos. À parte, ferva o leite restante com o pau de canela e o pedacinho da casca de limão. Deste este leite fervido, em fio e mexendo sempre, ao preparado de farinha. Mexa bem e dissolva toda a farinha. Leve a lume brando, mexendo sempre com uma colher de pau para não pegar. Assim que levantar fervura retire do lume. Reserve.
Misture os 500g de açúcar com 2.5 dl de água e deixe ferver durante 3 minutos exactos. Após este tempo, retire do lume e misture ao preparado anterior, deixando-o cair em fio e mexendo bem. Com um passador coe bem a mistura e retire a casca de limão e o pau de canela. Deixe arrefecer completamente. Quando já estiver completamente frio (tem de estar mesmo frio), junte as gemas e mexa bem até obter um creme homogéneo. Reserve



Massa:
Numa superfície plana (bancada ou mesa) coloque 250g de farinha e abra uma cavidade ao centro da mesma. Deite nela uma pitada de sal e apenas de 125ml de água (coloque a restante água a pouco e pouco, mas só coloque toda se for necessário). Comece a misturar (enrolar) a farinha no centro com a água, amassando de dentro para fora. Amasse bem até ficar uma massa elástica e homogénea que se descola das mãos (se for necessário acrescente mais água ou farinha). Faça uma bola com a massa, dê um corte em formato de cruz e polvilhe-a com farinha. Coloque num recipiente tapado com um pano (coloque dentro do microondas desligado) e deixe repousar por 30 minutos.
Entretanto, misture as duas margarinas (que devem estar amolecidas em temperatura ambiente) com o auxilio de um garfo e amasse-as bem com o mesmo (coloque um pedaço de uma margarina sobre o pedaço de outra e pressione com o grafo, esmagando-as e fundindo-as) Faça uma massa com as margarinas e divida-a em três pedaços iguais.
Sofre uma superfície enfarinhada, entenda a massa que esteve a repousar, e estenda-a com um rolo da massa até conseguir um rectângulo com espessura muito fina e lisa (3 mm). Muito ao de leve, e com uma espátula, coloque 1 das 3 partes da margarina (reserve os outros 2) sobre a massa e espelhe-a muito bem mas tendo o cuidado de não chegar ás bordas (deixe 0.5 cm da borda sem margarina). Em seguida, dobre as abas da massa para dentro (como se fosse um livro) de modo a que elas se encontrem/fundam ao centro, unindo bem as pontas. Dobre novamente a massa, mas desta vez, una uma ponta à outra no sentido do comprimento.
Estenda novamente a massa em forma de rectângulo e execute o mesmo procedimento que acabou de fazer, faça isto mais duas vezes, usando a restante margarina. Por último, torne a estender a massa com o rolo formando o rectângulo e, com as mãos, enrole no sentido do comprimento como se fosse um charuto e esticando-a o máximo possível à medida que vai enrolando (isto no sentido do comprimento). Em seguida, corte o rolo de massa em pedaços de 3 cm (+/) e coloque-os nas formas (que devem estar previamente untadas com margarina) com a parte cortada virada para cima. Com os polegares, comece a fazer pressão no centro da massa e espalhe-a até aos bordos de forma a que estes fiquem mais grossos, ficando a massa mais fininha no fundo, mas sem a romper (faça este processo molhando frequentemente os dedos em água fria, isto possibilitará uma melhor moldagem). Coloque as formas num tabuleiro de ir ao forno.


Montagem:
Coloque o creme que reservou nas formas (já com a massa) mas não as encha completamente (deixe 2-3 milímetros). Leve a forno pré-aquecido nos 250ºC até ganharem umas manchinhas escuras no creme e a massa estar tostadinha. Depois de cozidos, desenforme (não espere que arrefeça completamente senão será mais difícil de desenformar).
Sirva simples, ou polvilhe com açúcar em pó e/ou canela.




http://www.receitasdeportugal.com





Foto:daqui

Queijadas da Madeira





Massa
250 g de farinha de trigo
250 g de manteiga, amolecida (mas não líquida)
2 colheres de sopa de açúcar

Recheio
500 g de requeijão
400 g de açúcar
12 gemas
2 claras
Manteiga, para pincelar


Massa:
Peneire a farinha com o açúcar para uma tigela. Junte a manteiga e amasse até ligar. Faça uma bola de massa e embrulhe em papel de alumínio. Deixe descansar durante 4 a 5 horas (é importante que a massa descanse todas estas horas).

Recheio:
Passe o requeijão por uma peneira fina e deite para uma tigela. Adicione o açúcar e mexa bem. Junte as gemas uma a uma, mexendo bem entre cada adição. No fim, junte as claras. Bata bem até obter um recheio homogéneo.Aqueça o forno a 180 ºC.Numa bancada enfarinhada, estenda a massa muito fina. Corte quadrados de massa com cerca de 10 cm de lado. Forre um tabuleiro de forno com quadrados de papel vegetal com cerca de 12 cm de lado e disponha um quadrado de massa em cada um. Dobre as pontas da massa em direção ao centro. Deite uma colherada de recheio em cada queijada.Leve ao forno. Quando retirar as queijadas do forno, pincele a parte de cima da massa com manteiga.


http://www.receitasdeportugal.com 


Foto: daqui

queijadinhas de iogurte... são uma delicia!



Ingredientes:

400 g massa folhada
4 iogurtes aroma a gosto
1 lata de leite condensado
8 gemas
4 Ovos
açúcar em pó para polvilhar
Farinha para polvilhar


Instruções:
1. Estenda a massa folhada polvilhada com farinha até obter um rectângulo.
2. Pincele a massa por cima com água e enrole-a.
3. Depois corte a massa em rodelas.
4. Coloque as rodelas de massa em forminhas e estique-as com os dedos até que fiquem bem forradas. 


Numa tigela, misture bem o leite condensado, os iogurtes, as gemas e os ovos, distribua pelas forminhas e leve ao forno pré-aquecido a 180ºC durante cerca de 35 minutos ou até que fiquem cozidas e douradinhas. Retire, deixe arrefecer, desenforme.



http://www.receitasdeportugal.com








Foto: daqui

Oficialmente estamos no Outono.... mas com temperaturas a rondar os 40º





É na noite de domingo que se dá o equinócio de outono, o que marca o início desta estação no hemisfério norte. E prolonga-se até às 22:23 do dia 21 de dezembro, dando lugar ao inverno. Só que as condições extremas, sejam as altas temperaturas do verão ou as tempestades de inverno, também acontecerão nos próximos meses.

Este domingo esperam-se máximas muito próximas dos 40 graus, nos distritos de Santarém e Évora (39), e ainda Beja (38). E as previsões do Instituto Português do Mar e da Atmosfera apontam para um ligeira subida para segunda-feira, com as máximas a chegarem mesmo aos 40 no distrito de Santarém e a ficarem muito perto incluindo em Setúbal.

sexta-feira, 21 de setembro de 2018

Liga Portuguesa Contra o Cancro é finalista de prémio internacional

 

  

 

 


Liga Portuguesa Contra o Cancro nomeada para Prémio Mundialda World Cancer Day Spirit Award, que será atribuído pela UICC - Union for International Cancer Control.




Os prémios da União Internacional para o Controlo do Cancro (UICC) apresentam como objetivo identificar e celebrar as boas práticas de entre os seus membros, inspirando intervenções futuras.
Em 2018, um dos quatro finalistas mundiais ao prémio "World Cancer Day Spirit Award" da UICC é a Liga Portuguesa Contra o Cancro. 


Esta honrosa nomeação justifica-se pela campanha levada a cabo nas celebrações do Dia Mundial do Cancro 2018, onde se envolveram mais de 100 parceiros. Assim, colaborando com empresas, escolas, bibliotecas, associações desportivas, municípios e com os meios de comunicação social, a Liga passou a mensagem "Nós podemos, Eu posso" prevenir e combater o cancro.


 Através desta nomeação, a comunidade internacional prova que reconhece e valoriza este trabalho. A UICC apresentará no Congresso Mundial do Cancro que se realiza em Outubro em Kuala Lumpur, o grande vencedor. Almejamos que seja a Liga Portuguesa Contra o Cancro.

Quem foi "Zé povinho"?




O "Zé Povinho" é uma das mais conhecidas personagens portuguesas. Confunde-se com o povo português amplificando todos os seus defeitos e virtudes. Criado há mais de cem anos o Zé continua a ser nosso contemporâneo.



Zé povinho:



Zé povinho foi um personagem criado pelo caricaturista português Rafael Bordalho Pinheiro, em 1875, no periódico de humor político, A Lanterna Mágica, numa charge intitulada Calendário Português, criticando de forma humorística os principais problemas sociais, políticos e económicos do país. Tornou-se uma figura identificativa do povo português.

A imagem de cerâmica do personagem, criada pelo caricaturista, encontra-se hoje no Museu Rafael Bordoalho Pinheiro, na freguesia de Campo Grande em Lisboa.



Mas o que quer dizer "Zé povinho", uma expressão tão utilizada na língua portuguesa?


"Zé povinho" é uma expressão popular que significa gente simples, indivíduo do povo. É usada para identificar pessoa desqualificada socialmente.

Zé, é uma forma popular de exprimir o homem do povo. Povinho, é o diminutivo de povo (habitante de uma localidade). Zé povinho é uma expressão descriminatória, usada para indicar uma pessoa simples, ralé.


Raphael Bordallo Pinheiro



Raphael Bordallo Pinheiro (na grafia original) foi caricaturista, ilustrador, ceramista, decorador, editor e criador de uma das personagens que melhor personifica o ser português: o Zé Povinho.
A personagem nasceu em 1875 e passou a surgir com frequência nas vinhetas publicadas por Bordalo Pinheiro nas diversas publicações que editou ou onde colaborou.
O “Zé” foi assumindo a personalidade do povo, mas também as críticas ao sistema político e aos seus protagonistas. Os regimes passaram e as críticas assumiram novos contornos ultrapassando mesmo a vida do seu autor, com o “Povinho” a recriar-se nas mãos de novos autores e criadores.

quinta-feira, 20 de setembro de 2018

Monsanto a “aldeia mais portuguesa”.



Monsanto foi distinguida em 1938 com o Galo de Prata, por ser considerada a “aldeia mais portuguesa”. Uma réplica do galo de prata destaca-se no topo da Torre de Lucano – a torre sineira da Igreja da Misericórdia. Aprecie a serenidade da paisagem e visite o Castelo Medieval.


Percorra as suas muralhas que, juntamente com o Miradouro do Forno, oferecem paisagens serenas. Admire também rochas graníticas de grandes dimensões e uma laje com cavidades peculiares a “Laje das 13 Tijelas”, onde, segundo reza uma lenda, se alimentavam os pobres.

Na Capela de São Pedro de Vir-a-Corça existe um relógio de sol feito de pilhares de granito no portal. É um local romântico para apreciar a luz colorida do por do sol, típica desta zona.

Após a caminhada, desfrute de uma refeição caseira nos restaurantes de Monsanto e prove os enchidos tradicionais que são um deleite! Se gosta de passeios a pé, aproveite para conhecer a Rota dos Barrocais.













O símbolo mais significativo da joalharia portuguesa - o Coração de Viana.




No período compreendido entre o final do século XVIII e início do século XIX, Portugal ainda era um grande destaque localizado no continente europeu. O destaque do país era atribuído, maioritariamente, à joalharia portuguesa que surgiu e cresceu em abundância a partir da época dos Descobrimentos. Assim, Portugal encontrou um lugar ao sol neste cantinho da Europa.








A Joalharia portuguesa desenvolveu-se muito com as descobertas marítimas realizadas pelos portugueses. Esse desenvolvimento teve relação direta com os Descobrimentos, uma vez que era justamente do Oriente que vinham as gemas, enquanto do Brasil chegavam grandes quantidades de ouro. Sendo assim, unindo esses dois “ingredientes”, criou-se entre os mais dotados de riqueza o gosto peculiar por jóias luxuosas e ostentativas.

As jóias desenvolvidas pela Joalharia Portuguesa não serviam ao público apenas por questão de beleza e adorno, mas também como demonstração de riqueza e ostentação social. Além disso, passou a ser também uma forma de empenhamento dos bens acumulados. Com o tempo, elas se tornaram cada vez mais populares e passaram a pertencer aos membros da alta sociedade de Portugal, demonstrando a riqueza e posição privilegiada do país na economia mundial da época.

O símbolo mais significativo da joalheria portuguesa foi e continua a ser o Coração de Viana. Esta peça tão significativa da cultura portuguesa é cuidadosamente trabalhada através de uma arte milenar – a filigrana.








Mas então qual o significado do Coração de Viana? E qual a sua origem?



Para entender melhor o que significa o Coração de Viana, é necessário ter em mente que o coração foi um símbolo que surgiu na antiguidade clássica que visava repensar o centro não apenas da da vida, mas também da solidariedade, fraternidade e, principalmente, do amor. Séculos mais tarde, os santos passaram a serem representados com um coração no peito. Essa era uma forma de ilustrar a detenção dessas características por esses indivíduos.

Dessa forma, o Coração de Viana surgiu no final do século XVIII, como uma forma de culto ao Sagrado Coração de Jesus. O símbolo foi, essencialmente, inspirado na religião, que de resto era a fonte de inspiração principal da ourivesaria tradicional portuguesa. Por fim, os Corações de Viana também ficaram conhecidos como Corações Flamejantes, pois, além de tudo, representavam o calor do amor com chamas em sua parte superior.

Com o passar do tempo, os Corações de Viana tornaram-se um adorno em festas. Hoje em dia, fazem parte dos trajes tradicionais portugueses do Minho e do Douro Litoral, valorizando-os.








De que são feitos os Corações de Viana?

Os Corações de Viana são feitos a partir da arte de trabalhar fios de metais, entrelaçando-os, a fim de criar padrões. À essa arte, da-se o nome de filigrana. A filigrana pode ser de aplicação – como forma decorativa de uma peça – ou de integração (processo no qual toda a peça é fabricada em filigrana). Essa arte representa uma característica marcante da joalharia portuguesa, embora não seja exclusiva do nosso país. Por fim, a filigrana portuguesa é produzida principalmente no norte do país, apresentando maior incidência no pólo de Póvoa de Lanhoso. Ela é uma arte exclusivamente manual e exige muita perícia, sendo peças de alto valor e, acima de tudo, marcada por sua unicidade.





Adaptado: daqui e daqui