domingo, 30 de junho de 2019

Se gosta de caminhar, foi inaugurado mais um Passadiço: O Passadiço das Escarpas da Maceira em Torres Vedras


Hoje, dia 30 de Junho, foi inaugurado o Passadiço das Escarpas da Maceira, no município de Torres Vedras.

Este passadiço faz a ligação entre a Praia de Porto Novo e a Maceira.


Sangria.... bem geladinha!




Ingredientes

1 garrafa de vinho Rosé (750ml)
250g de morangos
4 limas
1 maçã
50 gr de mirtilos
1 cálice de vodka
330ml de SevenUp
gelo q.b.
xarope de açúcar (300 gr de açúcar + 300 gr de água)

Com alguma antecedência faça o xarope. Para tal, leve ao lume 150g de água e o açúcar até que este se dissolva. Retire do lume e adicionar a restante água. Leve ao frigorifico pois deve estar gelado quando usar.
Lave e corte os morangos em rodelas e as maçãs e cubos. Reserve.
Lave e esfregue as limas e lamine-as em rodelas ou em meias-e ao meio e as limas laminadas em rodelas ou em meias-luas.
Num jarro grande (2 litros) coloque a calda fresca, a fruta, a vodka e o vinho. Mexa delicadamente.
Antes de servir, acrescente a SevenUp e o gelo.
Mexa bem e sirva fresco.

Provavelmente esta é a vila mais bonita de Portugal....


Monsaraz, a airosa vila medieval de Monsaraz, mantêm a sua magia de outrora como poucos lugares no mundo. Feita de cal e xisto, este lugar sussurra-nos, por entre o eco dos nossos passos nas suas ruas, magníficas histórias de reis audazes, cavaleiros templários, gentes bravas e damas de beleza singela.

Suspensa no tempo, a histórica povoação alentejana, uma das mais antigas de Portugal, é um destino obrigatório na sua lista de lugares a visitar no Alentejo. Especialmente depois de, em 2017, ter vencido na categoria “Aldeias Monumento” do concurso 7 Maravilhas de Portugal – Aldeias.







O que visitar em Monsaraz

As muralhas que circundam a vila guardam uma povoação acolhedora, onde a luz acaricia os pitorescos e tradicionais lares das hospitaleiras gentes desta terra. Descobrir Monsaraz é viajar no tempo e desfrutar da História no presente. E há tanto para ver e sentir nesta encantadora máquina do tempo, bem no coração do Alentejo!

Como as suas ruas são ancestrais, Monsaraz oferece um espaçoso parque de estacionamento perto das muralhas, para que os seus visitantes possam visitá-la como deve ser: a pé e despreocupadamente.

Aprecie o imponente e peculiar cerco muralhado que abraça esta vila-museu do Alentejo, erguido durante as Guerras de Restauração. Esta muralha previa, no seu plano, a construção do Forte de São Bento, originalmente em forma estrelada, os Baluartes de São João e do Castelo e a Ermida de São Bento. Estava igualmente planeada a construção de três torres em Monsaraz: a primeira, no marmelão de São Gens; a segunda, na herdade das Pipas; a última, na herdade de Ceuta.







A cerca muralhada de Monsaraz tem quatro grandes portas por onde pode entrar na vila. A principal, a Porta da Vila, está protegida por dois torreões semicilíndricos e tem, a encimar o seu arco gótico, uma lápide consagrada à Imaculada Conceição, em 1646, por El-Rei D. João IV. A Porta d’Évora, no lado norte da muralha e também de arco gótico, protege-se por um cubelo. As restantes, d’Alcoba e do Buraco, são portas de arco pleno. Virando costas às entradas, a vista sobre os campos do Alentejo é… soberba.

Percorra a muralha até ao castelo de Monsaraz. Construído por D. Dinis, no século XIV, está classificado como Monumento Nacional. Por volta de 1830 e após desativação de funções militares, a antiga praça de armas do castelo passou a servir como uma espécie de praça de touros. Aqui e durante as festas em honra de Nosso Senhor Jesus dos Passos, decorre uma tourada tradicional anualmente, uma tradição secular indispensável para as gentes de Monsaraz.

O castelo de Monsaraz é um ponto turístico único e excepcional em Portugal, pois é um dos mais esplêndidos mirantes sobre o maravilhoso espelho-de-água da Barragem de Alqueva, o maior lago artificial da Europa e uma das maiores obras portuguesas do nosso século. Um lugar especial onde pode inclusivamente navegar sem carta de marinheiro num barco casa.







Caminhe devagar até ao Largo D. Nuno Álvares Pereira e entre na deslumbrante Igreja Matriz de Nossa Senhora da Lagoa. Erguida sobre as ruínas de uma igreja gótica, destruída devido à peste negra que assolou a região, este monumento religioso, do século XVI e em xisto regional, é de autoria de Pêro Gomes.

A matriz de estilo renascentista apresenta um belíssimo frontão, decorado por um painel de azulejos e uma Cruz da Ordem de Cristo, em honra de Nossa Senhora da Conceição. No seu interior, estude com atenção e deixe-se encantar pelo túmulo de Gomes Martins Silvestre, cavaleiro templário, primeiro alcaide e povoador de Monsaraz. Construído em mármore de Estremoz, tem esculpido, na sua face frontal, um cortejo fúnebre onde desfilam dezassete figuras.

Também sobre as ruínas do seu antecessor desfeito no terramoto de 1755, está o Pelourinho oitocentista. Em mármore branco de Estremoz, este símbolo da jurisdição e autonomia de Monsaraz está situado mesmo em frente à Igreja Matriz.

Já que está no Largo D. Nuno Álvares, aproveite e desfrute da riqueza arquitetónica e histórica dos edifícios aí localizados. A Casa Monsaraz, também conhecida como Novos Paços da Audiência, de finais do século XVII, ostenta o brasão de armas da vila; o Hospital do Espírito Santo e Casa da Misericórdia, que englobam a Igreja da Misericórdia. Esta última construção religiosa do século XVI, de arquitetura sóbria e simples, alberga uma imagem do Senhor Jesus dos Passos, padroeiro da vila.



Na Travessa da Cadeia encontra os Antigos Paços da Audiência. Estes funcionaram, durante séculos, como sede administrativa e tribunal de Monsaraz. Quando a gestão do concelho passou para Reguengos, este edifício tornou-se na escola primária e, mais tarde, no posto de turismo. Entre e veja o fresco medieval O Bom e o Mau Juiz. Nele, estão representados o Juiz da Terra (o Bom Juiz), que segura uma vara vermelha, e o Juiz de Fora (o Mau Juiz), que segura uma branca.

Enquanto o Mau Juiz recebe pagamentos tanto de ricos como de pobres (dinheiro e perdizes, respetivamente), o Bom Juiz apenas recebe a bênção dos anjos que o guardam. A sátira à corrupção da justiça da época é a interpretação mais habitual para este fresco. Contudo, poderá apenas ser um documento ilustrativo da luta dos concelhos para terem os seus próprios juízes, eleito de entre os seus, em vez de juízes de fora, nomeados pela Coroa.

Sinta o sol pôr-se e sob a sua luz rosada, refletida nas fachadas brancas das casas de Monsaraz, passeie à toa pelas ruas e travessas da vila e contemple a Capela de São José, onde os presos recebiam os ofícios divinos; a Casa da Inquisição, cuja designação não deixa dúvidas; a Casa do Juiz de Fora, doada à Universidade de Évora; a recentemente restaurada Igreja de Santiago.

Vá até à antiga Cisterna, que dizem ter sido uma mesquita originalmente. E não perca a oportunidade de conhecer a Capela de São João Batista, também conhecida por Cuba, devido à sua curiosa forma cúbica de influência mourisca. Descubra as Ermidas de São Bento, São Lázaro, Santa Catarina e São Sebastião, todas tão diferentes, todas tão especiais e únicas.




Agora que a noite o envolve no seu acolhedor manto de estrelas, sente-se à mesa num dos restaurantes de Monsaraz. Saboreie os melhores pratos tradicionais alentejanos, como as migas ou o borrego. Quanto a vinho alentejano, aprecie um bom Reserva Monsaraz com a sua fabulosa refeição, enquanto a vista sobre o Lago do Alqueva completa o seu nirvana sensorial. E não acabe a noite sem admirar o espetáculo de constelações e planetas, que brilham mais intensamente no firmamento de Monsaraz.



Fonte: https://www.visitevora.net

Praia Fluvial do Pessegueiro - Com Medalha de Ouro Quercus e Bandeira Azul esta praia é um paraíso a descobrir.



A Praia Fluvial de Pessegueiro está inserida numa envolvência aldeã, tipicamente serrana. Avistam-se a igreja Matriz e o rústico casario xistoso.

Atravessada por uma ribeira de águas límpidas e cristalinas, a Aldeia do Pessegueiro e a sua praia fluvial são, com toda a certeza, um postal vivo e um retrato fiel da natureza no seu estado puro.

A qualidade das infraestruturas disponíveis, assim como a qualidade da água foram, em 2017, reconhecidas pelos dois principais galardões nacionais: classificação de ouro da Quercus e Bandeira Azul, símbolo de qualidade ambiental, que este ano se renovou.

Nesta praia, pode usufruir de momentos de lazer e diversão no antigo lagar, hoje recuperado, e os mais ativos percorrer o Caminho do Xisto de Pessegueiro.


Localização:

3320 Pessegueiro

Lat.: 40° 3' 9.72" N
Long.: 8° 1' 15.168" W

Serviços:

Recepção/ Ponto de informação;
Bar/Esplanada na praia;
Parque de Merendas;
Parque infantil;
Praia infantil;
Chuveiros exteriores;
WC Públicos/Balneário;
WC p/ deficientes;
Parque de Estacionamento;
Posto Médico/ primeiros socorros;
Zona Relvada/ areal;
Rampas de acesso p/ pessoas com mobilidade reduzida;
Chapéu de sol / espreguiçadeira (p/aluguer);
Nadador-salvador/ vigilante;
 
 
Acessos Rodoviários:
De Norte
Na A1 sair em Coimbra. Siga a N17 (Estrada da Beira) em direcção à Lousã. Na Lousã continue na direcção de Góis, pela EN342, após 15km, na rotunda do Cimo do Alvém (Portela de Góis), cortar à direita para a N2 na direcção de Pampilhosa da Serra. Na portela do Vento, cortar à esquerda pela EN 112 na direcção de Pampilhosa da Serra. Passados cerca de 5Km corte à direita na direcção de Pessegueiro.
De Sul
Na A1 sair para Abrantes/Castelo Branco (A23). Seguir pela A23 até à saída Tomar. Depois seguir pelo IC3 direcção Coimbra até ao Avelar. Cortar à direita para o IC8, no sentido Castelo Branco. Sair do IC8, em Pedrógão Grande, no sentido Pampilhosa da Serra. Siga pela N2 até localidade de Chã de Alvares cortar à direita. Seguindo na direcção de Telhada / Pessegueiro.
De Pampilhosa da Serra
Siga pela N112, na direcção de Coimbra. Passados cerca de 3 km vire à sua esquerda no sentido de Sobral de Cima, Pessegueiro Praia Fluvial. Passe aldeia do Sobral de Cima e depois Ramalheira até ao cruzamento do Carvoeiro. Siga a direcção de Pessegueiro.



Fonte: aldeiasdoxisto.pt

Universidade de Coimbra entre as melhores do mundo



A Universidade de Coimbra (UC) destaca-se como a melhor instituição de ensino superior portuguesa no indicador ‘International Students’, que diz respeito à captação de estudantes internacionais.

Quanto à classificação geral no prestigiado ‘ranking’ mundial ‘Quacquarelli Symonds’ (QS) a UC sobe uma posição, mantendo-se entre as 500 melhores do mundo.

A UC figura, também, no top 300 mundial, na 281.ª posição, no indicador ‘Academic Reputation’, que avalia a percepção de docentes e investigadores de todo o mundo sobre as melhores instituições de investigação. Alcança, ainda, uma subida assinalável, para o 364.º lugar, no indicador ‘Citation per Faculty’, que avalia o número médio de citações por docente e investigador.

No total, são seis os indicadores utilizados pelo QS WUR para avaliar a qualidade das instituições de ensino superior mundiais. Para além dos já nomeados anteriormente, são, ainda, tidos em conta os seguintes indicadores: ‘Employer Reputation’, que avalia a percepção de empregadores de todo o mundo sobre as instituições de ensino que formam melhores profissionais; ‘Faculty Student’, que avalia o rácio entre o número de docentes e o número de estudantes; e ‘International Faculty’, que avalia a proporção de docentes e investigadores internacionais.

Cláudia Cavadas, vice-reitora da universidade, refere que “estes resultados agora obtidos vêm reforçar o bom desempenho da UC nos vários ‘rankings’ internacionais”, assumindo, no entanto, que ainda há “grande potencial para melhorar em várias áreas”.

De salientar, ainda, que depois de obter cinco estrelas no QS Stars e de se posicionar sistematicamente no top 500 dos principais ‘rankings’ mundiais, a UC obteve também a classificação máxima em vários indicadores da mais recente edição do Umultirank, divulgada no início do mês, nomeadamente nas áreas da investigação, transferência de saberes e internacionalização.



Fonte:  campeaoprovincias.pt

A tasca mais “picante” de Portugal


Se algum dia for a Ponte de Lima, e o convidarem para ir às “fodinh*s quentes” com “putinh*s” a acompanhar, não se ofenda e aceite o convite.

 
Apesar da proposta parecer indecente, consiste sim na vista à tasca “Os Telhadinhos”, situada no centro da vila. O divertimento é garantido, não fosse o cardápio inventado pela proprietária, Dona Márcia, um verdadeiro chorrilho de petiscos, cada um com mais picante que o outro.





Os caracóis são “Corninhos de marcha lenta”, o prego no pão é “Corno na racha”, porque os pregos às vezes são duros como cornos e são servidos no pão”. Já as codornizes são “Escarrapachadas quentes” por serem cozinhadas abertas.

Os corações de galinha no prato são “Tique-taques-no-redondo, o “Perigoso na racha” é fígado, perigoso porque se bebemos de mais, estragamo-lo.


 
Acompanhe todos os petiscos com uma “Putinh*” (mais pequena), “Meia quec*” e “Quec* cheia”, nomes estes dados às tigelas de vinho.

A especialidade da casa é pataniscas de bacalhau, ou melhor, “fodinh*s quentes”, e a sua origem, segundo a proprietária, vem do tempo em que a mesma tinha um café em Ponte da Barca e uma das suas empregadas se esqueceu de pôr bacalhau nas pataniscas e um cliente acabou por reclamar. Dona Márcia explicou-lhe o sucedido ao qual ele respondeu: “’Isto é que foi uma grande fod*!”


sábado, 29 de junho de 2019

Santuário de Santa Luzia - uma das principais atracções de Viana do Castelo e um dos santuários mais belos de Portugal




O Santuário de Santa Luzia é uma das principais atracções de Viana do Castelo. Este templo monumental encontra-se no monte de Santa Luzia (228 m.), nos arredores da cidade.






Situada no alto do monte de Santa Luzia, em Viana do Castelo, a Basílica de Santa Luzia, foi começada a construir em 1903 e terminada em 1943, com projecto do arquitecto, Miguel Ventura Terra. A última fase da construção da basílica, que é considerada como inspirada na Basílica de Sacré Cœur, de Montmartre, Paris, viria a ser dirigida pelo arquitecto Miguel Nogueira, que contou para o trabalho sobre o granito, com o mestre canteiro, Emídio Pereira Lima. Está edificada sobre uma planta em forma de cruz grega e a sua arquitectura tem elementos neo-românicos e bizantinos, no topo da basílica uma varanda permite, em dias sem neblina, um vastíssimo panorama da região. A estátua de bronze, do Coração de Jesus, colocada na entrada, datada de 1898, é da autoria do escultor, Aleixo Queirós Ribeiro, os dois querubins do altar-mor, são da autoria do escultor Leopoldo de Almeida e esculpidos pelo Mestre Emídio Lima e Albino Lima, em mármore de Vila Viçosa. Os vitrais das rosáceas foram executados na oficina de Ricardo Leone, em Lisboa, o fresco que representa a via-sacra e a Ascensão de Cristo, na cúpula, tem como autor, M. Pereira da Silva. O carrilhão é composto por 26 sinos.





A partir da colina de Santa Luzia pode contemplar uma vista deslumbrante sobre a costa e o vale do Lima. Para subir até ao templo poderá utilizar o teleférico que parte de uma zona próxima da estação ferroviária.

Também poderá ir de carro (3,5 km), ou a pé (2 km por etapas).

Próximo da basílica, também localizadas nas montanhas, irá encontrar as ruínas da Cidade Velha.



Morada: Monte de Santa Luzia, Apartado 21
4901-009 Viana do Castelo



 

Carolina Costa está imparável vencendo hoje a segunda medalha de ouro no ‘Dance World Cup’





A bailarina bracarense Carolina Costa está imparável nas finais da competição internacional Dance World Cup, vencendo este sábado nova medalha de ouro, desta feita a solo, na categoria “Solo de Ballet”.

Com apenas 13 anos, a jovem atleta conquista novo ouro, depois de, na sexta-feira, ter-se classificado em primeiro lugar em conjunto com outras três colegas atletas do Conservatório Internacional de Dança Annarella Sanchez.

Esta rua portuguesa foi eleita uma das mais belas do mundo....



Águeda tem uma das Ruas mais Bonitas do Mundo



A revista Architectural Digest divulgou um ranking das 19 ruas mais incríveis do mundo e, de entre a lista, uma fica em Águeda.






Por este mundo fora há locais e ruas de paragem obrigatória. Uma delas fica em Águeda, é a Rua Luís de Camões que durante os mêses de verão se enche de cor por causa do céu de guarda-chuvas coloridos do projeto Umbrella Sky Project.
Trata-se de um projeto artístico que nasceu em 2012 e que todos os anos leva a arte urbana e a cor à cidade portuguesa.


Foz d'Égua é um presente da natureza... uma das praias fluviais mais bonitas do mundo!



Se está à procura de um lugar incrível para as suas férias a Praia Fluvial de Foz D’Égua é o local ideal. Perto da Aldeia de Piódão esta praia é banhada pelas ribeira de Piódão e Chãs D’Égua. Tem toda uma área envolvente arborizada com excelentes zonas de lazer. Este local apetecível é conhecido pelas suas águas límpidas e frescas (que devido à corrente vão talhando os blocos de pedra) em perfeita comunhão com o aspeto rural envolvente. Este aspeto deve-se às variadas construções em xisto desde moinhos, habitações e pontes da aldeia. Foi classificada como imóvel de interesse público devido à sua beleza natural na exposição arquitetónica. Está inserida nas Aldeias do Xisto. A construção do açude levou à criação da  praia que reúne todas as condições para a prática da atividade balnear.


 Foram construídas infraestruturas de apoio à praia para que seja seguro para todos os banhistas. 
Aproveite para conhecer mais a paisagem que o rodeia e faça um dos percursos pedestres, a Rota das Aldeias Históricas e visitas guiadas. Para os mais aventureiros existem percursos para BTT. Se prefere ficar pelas margens a apanhar banhos de sol enquanto se refresca será também uma boa solução.




Como Chegar à Praia Fluvial de Foz D’Égua

O Alqueva recebe a primeira certificação internacional, como sendo o melhor local do mundo para ver as estrelas....


No Alentejo, o céu do Alqueva é uma área protegida e certificada internacionalmente, registada como uma reserva Dark Sky, ou “Starlight Tourism Destination”, que se estende por uma área de cerca de 3000 quilómetros quadrados.


RESERVA DARK SKY ALQUEVA RECEBE PRIMEIRA CERTIFICAÇÃO MUNDIAL ATRIBUÍDA PELA UNESCO, FUNDAÇÃO STARLIGHT E ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DE TURISMO.


Destinos Starlight são lugares que têm poluição luminosa muito baixa, onde os visitantes podem desfrutar de oportunidades únicas e inigualáveis ​​para ver o céu noturno. Em grande parte da Europa, cada vez menos pessoas conseguem ver a galáxia com clareza devido ao aumento da poluição luminosa, mas em Alqueva, as excelentes condições atmosféricas e clareza tornam possível aos visitantes desfrutarem das estrelas durante a maior parte do ano. Além disso, o Alqueva é uma região única, muito rica em património cultural e natural. Seus restos megalíticos fornecem uma ligação com civilizações passadas que observaram e responderam aos movimentos celestes.

 

A criação da Reserva Dark Sky Alqueva veio dar um encanto ainda maior ao Alentejo e à sua famosa planície imensa – uma maravilhosa visão que nos transmite paz e serenidade, apenas aqui e ali irrompida pelas serras de São Mamede, Ossa, Adiça, Portel e Caldeirão. Se já teve a oportunidade de visitar um planetário, sabe o quão indescritível é a sensação de contemplar o céu noturno, ainda que artificial. Em Portugal, temos a sorte de poder ter essa experiência ao ar livre.

Além de nos deixar contemplar o lado negro do Alqueva, o majestoso manto de estrelas e galáxias que pintam o céu durante a noite acompanhado apenas pelo ruído musical da própria natureza, o Dark Sky Alqueva dá-nos uma oportunidade perfeita para realizar outras atividades e conhecer tudo o que os três mil quilómetros quadrados circundantes têm para nos oferecer, nomeadamente nos municípios de Alandroal, Reguengos de Monsaraz, Portel, Mourão, Moura e Barrancos.

Tudo isto é possível graças à Rota Dark Sky Alqueva. Associada à Reserva Dark Sky Alqueva, é constituída por unidades de alojamento, restauração, produtores regionais e empresas de animação turística, e é a partir deste roteiro que poderá conhecer melhor a cultura, gastronomia e geografia desta magnífica região. Imagine-se sob o céu estrelado a fazer um passeio a cavalo, uma prova de orientação, observação noturna de vida selvagem ou de aves, a cear nas margens do Alqueva, a fazer uma prova de vinhos, a dar um agradável passeio de canoa ou simplesmente uma revigorante caminhada. Seja de noite ou de dia, vai ter muito com que se entreter.


 
Fotos: todos os direitos reservados https://www.miguelclaro.com

Cabeço de Vide e as sua águas terapêuticas despertam a atenção da NASA


Em Cabeço de Vide nasce uma água diferente, única em Portugal e rara no mundo. As características ímpares da água despertaram a curiosidade da NASA. Uma equipa da agência espacial americana deslocou-se ao Alto Alentejo. Os cientistas acreditam que as rochas encontradas são semelhantes às de Marte e às de duas luas do sistema solar.


Cabeço de Vide é considerado “um laboratório natural porque tem um ambiente hidrogeológico e uma interação água-rocha que poderá ser em tudo semelhante à que ocorreu ou que decorre atualmente no planeta Marte” (Carla Rocha, investigadora)

As respostas para as grandes perguntas da Humanidade podem estar escondidas em todo o lado. Até (ou sobretudo) em Cabeço de Vide.

Uma água que faz bem à saúde
A água de Cabeço de Vide não está indicada para beber, salvo em pequenas quantidades e apenas por indicação médica, já que tem um pH de 11,5 e o limite para consumo humano situa-se nos 9,5. Tem, no entanto, propriedades terapêuticas – sobretudo associadas aos elevados níveis de enxofre – que resultam da sua interação com a pele e o sistema respiratório, e das quais é possível usufruir nas Termas da Sulfúrea, em Cabeço de Vide.





A água de Cabeço de Vide não está indicada para beber.

As suas indicações terapêuticas são, de acordo com os médicos hidrologistas e o site das Termas de Portugal, três: doenças crónicas e alérgicas das vias respiratórias superiores e inferiores, como a asma, sobretudo em crianças; patologias osteoarticulares e reumatismais crónicas, como as osteoartroses; e em doenças crónicas ou alérgicas de pele, como a psoríase ou o eczema.





As propriedades curativas da água sulfurosa e alcalina são conhecidas desde os romanos. Dois mil anos depois, as Termas da Sulfúrea tratam dezenas de doenças de pele, do aparelho respiratório e osteoarticular. O volumoso edifício no meio do campo é como um hospital sem químicos e com um único medicamento, a água. 


Cientistas da NASA no Alto Alentejo 


As rochas determinam o pH da água captada em profundidade. A química dos minerais em Cabeço de Vide é idêntica à encontrada no planeta Marte. A semelhança é tanta que despertou a curiosidade da NASA.


“As águas em Cabeço de Vide resultam da serpentinização. As rochas são desidratadas, são olivinas sem água. Estes são materiais que a NASA acredita existirem também noutros planetas”, diz o astrobiólogo da NASA, Steve Vance.



A serpentinização é um fenómeno químico que acontece quando uma rocha rica em magnésio e ferro é convertida em minerais de argila do grupo das serpentinas.
Os investigadores da agência espacial americana deslocaram-se três vezes a Portugal e acreditam poder ainda encontrar rochas semelhantes nas luas de Saturno e Júpiter.

As rochas são a chave para compreender a água e chegar mais longe. “Se tivermos água no estado líquido em Marte podemos ter água muito semelhante à que temos em Cabeço de Vide”.

Carolina Costa conquista medalha de Ouro no primeiro dia do Campeonato do Mundo Dance World Cup




A bailarina bracarense Carolina Costa conquistou ontem a sua primeira medalha de Ouro na Dance World Cup, que junta, em Braga, mais de 6 mil participantes de todo o mundo, até ao próximo dia 06 de julho.


A prodigiosa bailarina de apenas 13 anos triunfou em conjunto com o Quarteto Amigas de Esmeralda, com Margarita Fernandes, Matilde Neves e Catarina de Castro, da Escola Internacional de Ballet Annarella Sanchez.

Carolina Costa e Lara Machado, ambas a representar aquela academia de Ballet, vão ainda competir em mais provas ao longo deste campeonato, que decorre no Fórum Braga.

sexta-feira, 28 de junho de 2019

Onda de calor que varre Europa a caminho de Portugal



Massa de ar quente do Norte de África deixou a Europa central debaixo de temperaturas recorde já está a deslocar-se para oeste e deverá chegar a Portugal continental este fim de semana


A primeira onda de calor desde o início do verão deixou em alerta Espanha, França, Alemanha, Itália, Hungria e outros países europeus, cujos termómetros poderão bater recordes e ultrapassar os 40.ºC.

O pico de calor deve ser atingido esta 5.ª feira e alastrar a outras zonas da Europa. As autoridades estão preocupadas com os efeitos para a saúde das populações. 



Fonte: sicnoticias.pt

 

 

Governo português apela a ter cuidado máximo se for de férias para a República Dominicana



O Governo português alterou a informação no Portal das Comunidades Portuguesas do Ministério dos Negócios Estrangeiros (MNE) relativamente a visitas à República Dominicana, um dos destinos mais escolhidos para as férias de verão.

Os portugueses são dos que visitam com regularidade o país, de acordo com o Banco Central da República Dominicana. Só em 2018, cerca de 43 mil portugueses chegaram de avião, entre janeiro e dezembro, a esse país. Nos mês de agosto, foram mais de sete mil turistas vindos de Portugal. É um número considerável.

Por isso mesmo, o MNE alterou as recomendações em relação ao paraíso das Caraíbas, na semana passada, dia 18 de junho, quando voltaram a surgir notícias de que turistas de outra nacionalidade morreram no país.


Antes de viajar para qualquer lugar, consultar o Portugal das Comunidades Portuguesas da secretaria do MNE é uma das práticas recomendadas para se ter acesso a todo o tipo de informação importante no que concerne a segurança, saúde, vistos, política e costumes do país, moeda, vacinas, cuidados a ter, entre outros.

quinta-feira, 27 de junho de 2019

Única no mundo, a Festa dos Tabuleiros em Tomar acontece de quatro em quatro anos - e 2019 é ano de festa!


 
A Festa dos Tabuleiros realiza-se em Tomar de quatro em quatro anos e atrai milhares de visitantes à cidade. Os tomarenses, além de apoiarem a realização da festa com varandas e janelas decoradas, é que decidem, de resto, se há ou não festa, e elegem o mordomo por votação popular. Este ano, pela primeira vez, o mordomo é uma mulher.


A Festa dos Tabuleiros de Tomar terá lugar de 29 de Junho a 8 de Julho de 2019, em Tomar!
No tempo em que D. Dinis obtinha do papa João XXI a criação da Ordem de Cristo, a Rainha Santa Isabel fundava as Irmandades do Espírito Santo, que celebravam o Pentecostes. A Ordem prestou extraordinários serviços a Portugal e as Irmandades iniciaram um grande movimento de solidariedade Cristã. O Pentecostes evoca a descida do Espírito Santo sobre os Apóstolos e a celebração adapta reminiscências de rituais pagãos, alguns dos quais perduram na festa dos Tabuleiros.
As festas de Tomar, conhecidas pelo menos desde o século XVII, têm preservado rigorosamente os seus aspectos mais importantes.
Perdido o ritual dos “Impérios” com a coroação dos Mordomos e Festeiros, mantém a tradição original.
É o cortejo, a benção do pão, os pendões e as Coroas do Espírito Santo, a forma dos tabuleiros, o simbolismo da virgindade expresso pela alvura das vestes das raparigas que os transportam á cabeça, e a “Pêza”: um cerimonial de confraternização que persiste, na distribuição pelos pobres de pão benzido, carne e vinho.
Os Tabuleiros encimados pela coroa rematada pela Cruz de Cristo ou pela pomba do Espírito Santo, desfilam numa explosão de cor, que contrasta com a simplicidade do ornamento dos trajos brancos das moças que os transportam á cabeça e com a modéstia do povo de Tomar.
Elas, vestidas de branco com cores vivas á cintura e ao tiracolo, levando á cabeça os tabuleiros; eles, de camisa branca e calça preta, com cinta preta á cintura e de gravata da cor das fitas da rapariga.
A Festa dos Tabuleiros realiza-se a cada 4 anos, no início do mês de Julho, em Tomar.
Programa
05 Abril | Domingo de Páscoa
09.30 H – Procissão das Coroas e Pendões do Espírito Santo
05 Julho | Domingo
10.00 H – Cortejo dos Rapazes
09 Julho | Quinta- Feira
20.00 H – Inauguração das Ruas Ornamentadas
10 Julho | Sexta – Feira
10.00 H – Cortejo do Mordomo
11 Julho | Sábado
10.00H – Cortejos Parciais dos Tabuleiros
13.00 H – Exposição dos Tabuleiros
15.00 H – Jogos Populares
12 Julho | Domingo
09.30 H – Procissão das Coroas e Pendões do Espírito Santo
16.00 H – Cortejo dos Tabuleiros
13 Julho | Segunda-Feira
10.00 H – Distribuição do Bodo
Fonte: Turismo do Centro

quarta-feira, 26 de junho de 2019

Europa com onda de calor "potencialmente perigosa" esta semana ...



Dias depois do início do verão, a primeira onda de calor do ano chegou à Europa.

Segundo a Organização Meteorológica Mundial (OMM), a combinação de vários fatores, como a duração, que pode chegar aos seis dias; as altas temperaturas e a altura do ano em que acontece, faz com que esta seja uma onda de calor sem precedentes em junho.

A culpa é de uma massa de ar muito quente e seca proveniente de África, que combinada com pó faz aumentar a sensação térmica - a chamada "bolha do Saara".

Portugal escapa ao fenómeno graças a uma depressão proveniente do Atlântico, com chuva e temperaturas amenas, mas em vários países no centro do continente europeu as temperaturas já excederam os 40ºC esta quarta-feira.


Informação TSF

Debaixo da maravilhosa cidade de Coimbra há um mundo inteiro por descobrir, algo que nem alguns dos habitantes desta cidade conhecem....



Uma cidade romana esconde-se sob a encantadora cidade de Coimbra ! Falamos da antiga cidade romana de Aeminium fundada no Séc. I.

Esta cidade foi em tempos muito importante para o império romano, rivalizando mesmo com a vizinha Conimbriga. Aliás, naquele tempo, muitos dos habitantes de Conimbriga acabaram mesmo por se deslocar permanentemente para Aeminium para aí viverem.

Descubra o Criptopórtico de Aeminium, uma das obras de engenharia e de arquitectura romanas mais fascinantes em

Portugal !


Todos reconhecem a habilidade e engenho dos romanos e são diversas as construções que resistiram até aos dias de hoje. O Criptopórtico de Aeminium, é exemplo do avançado conhecimento da engenharia romana. Construído para vencer o declive e sustentar a nova cidade, os engenheiros romanos ergueram uma “plataforma artificial”, em forma de arco abobadado. Contudo, para alguns historiadores, estas galerias subterrâneas não tiveram apenas uma função estrutural, os criptopórticos, eram também utilizados, para guardar reservas de alimentos, por ser um espaço seco e fresco, pelos mesmos motivos seriam também espaços de lazer, nas noites quentes de verão.

É hoje a maior estrutura romana (conservada) existente em Portugal, sendo constituído por duas galerias, que suportam o renovado Museu Machado de Castro.

É um labirinto sombrio, que tem tanto de fascinante como de misterioso. Passear por estas galerias é como percorrer a antiga cidade de ruelas abobadadas. No percurso irá encontrar alguns achados das escavações, como a placa da cidade de Aeminium e os marcos que delimitavam cidade.




Na Idade Média, o criptopórtico foi substituído pelo palácio episcola e no séc. XX pelo Museu nacional Machado de Castro.

O criptopórtico de Aeminium é um dos belos e originais do mundo. Uma verdadeira cidade sob a cidade!

Horário
De terça-feira a domingo
(Encerra às segundas, 1 de Janeiro, Domingo de Páscoa, 1 de Maio e 25 de Dezembro)
Outubro a Março – 10:00 – 12:30 / 14:00 – 18:00
Abril a Setembro – 10:00 – 18:00

Largo Dr. José Rodrigues • 3000-236 Coimbra
+351 239 853 070

mnmachadodecastro@imc-ip.pt
http://www.museumachadocastro.pt/




 Fontes:
http://myguide.iol.pt/profiles/blogs/coimbra-de-aeminium

http://www.centerofportugal.com/pt/o-criptoportico-de-aeminium/
http://www.museumachadocastro.gov.pt/pt-PT/minisitios/ContentDetail.aspx?id=632
https://www.vortexmag.net/aeminium-ha-uma-cidade-perdida-debaixo-de-coimbra/?fbclid=IwAR3OC84Tvl-UTpkVqesG3sniA53SI3bDM9Rhxu2VEIcczjEVqPDo1ovSjDg

segunda-feira, 24 de junho de 2019

Um ninho de dinossauro carnívoro foi escavado nas arribas de uma praia da Lourinhã, fazendo deste o local no mundo com mais ninhos de dinossauro encontrados....





Um quarto ninho de dinossauro foi escavado nas arribas de uma praia da Lourinhã.



O paleontólogo Miguel Moreno Azanza, especialista em ninhos e ovos de dinossauros, explicou à agência Lusa que "as cascas são semelhantes às dos ovos dos outros ninhos, por isso tem quase a certeza de que o ninho pertence" ao "Lourinhanosaurus antunesi", espécie de dinossauro carnívoro descoberta também neste concelho do distrito de Lisboa, motivo pelo qual foi assim batizada.
Os quatro ninhos têm em comum o facto de terem ovos de 12 centímetros, com cascas negras de um milímetro de espessura e poros que permitem a sua identificação.
Os paleontólogos suspeitam que o ninho agora escavado na praia do Caniçal, com cerca de 10 ovos, poderá ser mais antigo do que os anteriores escavados no concelho.
Pela diversidade de ninhos encontrados, os cientistas acreditam que a Lourinhã seria o "local ideal" para os dinossauros carnívoros daquela espécie nidificarem.
 


A Lourinhã seria uma "área de muitos rios com planícies inundadas, o que era bom para o 'Lourinhanosaurus antunesi' nidificar", apontou Miguel Moreno Azanza, investigador da Universidade Nova de Lisboa, que, com conjunto com Octávio Mateus, da mesma universidade, coordenou as escavações organizadas pelo Museu da Lourinhã.
"Os dinossauros aproveitavam as áreas secas para nidificar e, quando estas inundavam, enterravam os ovos, o que facilitou a sua fossilização", acrescentou.
Pela dimensão dos ninhos e pelo número de ovos, os paleontólogos "suspeitam que várias fêmeas usassem o mesmo ninho para nidificar ou que a mesma fêmea voltasse sempre ao mesmo ninho para pôr ovos".
A Lourinhã foi durante "milhares de anos" usada para os dinossauros nidificarem.
Em 2017, quando efetuavam ações de prospeção, três voluntários do museu encontraram uma área de concentração de cascas pretas na arriba da praia do Caniçal.
Os paleontólogos começaram a escavar a meio da arriba, trabalhando pendurados por cordas, a uma altura de 17 metros da praia.
O ninho foi escavado nas últimas três campanhas, desde 2017, tendo sido extraído um bloco rochoso a pesar uma tonelada, o qual, por sua vez, foi envolvido em gesso e serapilheira para proteger os fósseis e retirado por guindaste.
O material vai ser estudado e preparado ao vivo no laboratório do Dino Parque da Lourinhã dentro de duas semanas e durante um a dois anos por Miguel Moreno Azanza, Octávio Mateus, Eduardo Puértolas-Pascual, Rute Coimbra e Alexandra Fernandes.






Fonte: GEAL - Museu da Lourinhã

Estes seres estranhos estão a aparecer na costa do Algarve e da Andaluzia ....não são medusas, nem peixes....e não os deve matar!




Geralmente confundidas com pequenas águas-vivas, as salpas não oferecem perigo. As bolinhas gelatinosas, que podem variar de milímetros até alguns centímetros, são inofensivas e não possuem células urticantes, que provocam queimaduras.

O biólogo Juan Jesus Martin indicou que seu habitat natural é o mar aberto, mas sob certas circunstâncias, correntes, vento ou um aumento na luminosidade podem levar a uma "produção massiva" de salpas e pode acontecer que elas se aproximem da costa.

As salpas são animais multicelulares que se reproduzem rapidamente. São capazes de duplicar o seu número várias vezes por dia e  são comuns em diversos oceanos,  águas equatoriais, subtropicais, temperadas e frias.

São animais capazes de se juntar  em filas de mais de um km, e podem absorver cerca de 4.000 toneladas de CO2 por dia! Esta qualidade é muito relevante para o planeta.

Alimentam-se de fitoplâncton, proporcionado neste caso por algas.

As Sapas ajudam a limpar os oceanos e filtram o ar que respiramos!


Não lhes façam mal.
Eles são inofensivos!

domingo, 23 de junho de 2019

Portugal tem um dos poucos sítios no mundo onde se consegue visitar o interior de um vulcão




O Algar do Carvão, situa-se sensivelmente no meio da ilha Terceira, a norte da cidade de Angra do Heroísmo, distando desta cerca de 12 Km por estrada. O acesso é fácil, recorrendo à rede viária pública que apresenta sinalização suficiente para o efeito. Possui uma posição geográfica de coordenadas 38°43'41.54"N 27°12'59.01"W e uma altitude de sensivelmente 640 m.







É sem dúvida a cavidade vulcânica mais conhecida nos Açores tendo-se tornado na primeira com condições de receção a visitantes, nomeadamente com uma entrada artificial desenvolvida para esse fim (túnel), eletrificação permanente, horário e calendário anual de aberturas ao público.







 Atualmente este Algar está aberto durante o verão a todos aqueles que o queiram visitar, registando anualmente uma procura da ordem dos vários milhares de visitantes.











HORÁRIO

23 março a 30 de setembro : Aberto todos os dias das 14h00 às 18h00
1 outubro a 22 março: Terças, Quartas, Sextas e Sábados das 14h30 às 17h15

Os bilhetes são adquiridos no local, não sendo necessário reserva (exceto agências de viagens);

Duração da visita: 20-30min)

Bilhete normal (visita a 1 gruta) / Bilhete Único (visita a 2 grutas)
Bilhete Normal: 8,00€
Bilhete Normal c/desconto: 6,00€*
Bilhete Único: 12,00€
Bilhete Único c/desconto: 10,00€*
Bilhete gratuito**

*portadores do cartão jovem regularizado
** portadores de cartão sócio dos Montanheiros (+ acompanhante) com quota regularizada e para crianças com idade inferior a 12 anos acompanhado de adulto pagante.










Créditos das Fotografias:
António Luís Campos em http://www.cronicasdaatlantida.org
https://www.exploreterceira.com